Jeep atualiza portefólio

Reforços a caminho

Apresentação

Por Vítor Mendes da Silva 28-09-2019 16:45

O Jeep Renegade foi o primeiro modelo do fabricante especializado em veículos para TT desenvolvido de raiz em colaboração com a Fiat e fora da América do Norte, também marcou a estreia do emblema na categoria dos Sport Utility Vehicles (SUV) compactos. E oficializará, já no primeiro trimestre do próximo ano, o arranque da estratégia de eletrificação na marca, trunfo decisivo para alimentar o tão desejado crescimento à escala global.

Mas ainda antes da chegada do Renegade PHEV (seguir-se-á o Compass equipado com módulo que combina 1.3 Turbo a gasolina e unidade elétrica no trem posterior, para a denominada função eAWD de tração integral eletrificada), são esperados reforços cirúrgicos no que sobra do portefólio do emblema americano, nomeadamente com a chegada das versões Trailhawk às gamas Compass e Cherokee.

O icónico Wrangler também passa a poder dispor de ótimo motor a gasolina 2.0 com 270 cv, como alternativa ao Diesel de 200 cv, apenas por encomenda, para já...

Compass e Cherokee Trailhawk

Posicionando-se entre o Renegade e o Cherokee, o Compass está disponível em Portugal em versões de duas e quatro rodas motrizes. Depois do verão, a versão que ainda ficava a faltar no portefólio, Trailhawk, com mais 20 mm de altura livre ao solo, redutoras e programa específico (Rock) para o TT exigente. Como cartão de visita do SUV compacto originalmente lançado em 2006, destaca-se a sua imagem imponente e estatutária. O desenho ostenta os mais recentes elementos da família Jeep, com a grelha tradicional de seis barras verticais numa versão futurista. Na secção traseira, as linhas distintivas são mais quadradonas, muito americanas, salientando-se a largura avantajada do veículo. E a decoração específica da nova Trailhawk a conferir-lhe aparência ainda robusta e estável na estrada que começa a rarear numa categoria com origem no TT puro e duro: de série, jantes em liga de 17” com pneus All Season, faróis dianteiros bi- -xénon, molduras dos faróis dianteiros com assinatura LED, terminal de escape cromado e autocolante preto no capot, placas de proteção inferiores e gancho traseiro de reboque. Está disponível com um único motor a gasóleo, o 2.0 MultiJet II (170 cv/380 Nm), associado a transmissão automática de nove velocidades.

O Cherokee Trailhawk copia a fórmula acima quase na totalidade. Difere, por exemplo, no sistema propulsor, estando apenas disponível com motor a gasolina 2.0 com 272 cv e 400 Nm.

De resto, com cerca de mais 2 centímetros na distância ao solo do que as versões convencionais, também o Cherokee Trailhawk tem capacidades 4x4 realçadas, sobretudo através do exclusivo sistema do Trailhawk Jeep Active Drive Lock, que se conjuga como o diferencial traseiro autoblocante e inclui Selec-Speed Control, equipamento que permite uma gama de velocidades selecionáveis pelo condutor entre 1 km/h e 9 km/h, ideal para passar sobre pedras, descer/subir inclinações extremas ou atravessar cursos de água.

Claro que na gama ampliada de versões do Cherokee, destaque natural para a novidade mais relevante para o mercado nacional: versão 4x2, de apenas duas rodas motrizes, associada a variante menos potente do turbodiesel 2.2 MultiJet II, a debitar 150 cv de potência e 350 Nm de binário. Mas os trunfos do Trailhawk não se esgotam nas reforçadas credenciais off-road, destacando- se o comportamento muito equilibrado no asfalto, com nota muito positiva para o conforto de rolamento.

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Apresentação