"Se um vai preso, vamos todos": Motoristas respondem a notificação por crime de desobediência

Atualidade

Por Auto Foco 14-08-2019 13:45

Os motoristas de transportes de matérias perigosas estão a recusar-se a trabalhar e dizem que não vão cumprir os serviços mínimos depois de onze trabalhadores terem sido notificados pelo crime de desobediência civil por não terem respeitado a requisição civil decretada pelo Governo.

"Em solidariedade para com os seus colegas [que foram notificados], ninguém vai sair daqui hoje", assegurou Pedro Pardal Henriques, em Aveiras de Cima, junto às instalações da Companhia Logística de Combustíveis. "Ninguém vai cumprir nem serviços mínimos nem requisição civil, não vão fazer absolutamente nada", sublinhou o também assessor jurídico Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP).

"Se é para levar os onze colegas presos, então vão levar todos. Têm é que arranjar autocarros grandes para levar esta gente toda", disse relativamente ao facto de 11 trabalhadores terem sido notificados pelo crime de desobediência civil por não terem respeitado a requisição civil.

"O senhor ministro pode mandar o exército, que reforce o exército para fazer os postos, para manter isto como está, continue a gozar com estas pessoas para que elas não possam reivindicar os seus direitos, mas elas não saem daqui nem saem os que estão no Norte, no Alentejo ou no Algarve. Hoje, ninguém vai sair", disse.

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Atualidade