BMW Série 3 Touring

Forma & função

Apresentação

Por Paulo Sérgio Cardoso 30-11-2019 09:05

Mesmo com os SUV em constante afirmação de status, o certo é que a BMW não perdeu tempo no lançamento da nova geração da Série 3 Touring, seis meses após o início da comercialização da berlina de quatro portas. Porque, na Europa, este género de carroçaria ainda vale muitas vendas; e porque, tratando-se de modelo com história na marca, mantém uma legião de fãs incondicionais que não trocam as formas mais aligeiradas e elegantes de uma carroçaria baixinha pelos volumes acaixotados dos SUV.

Mesmo com o aumento substancial das dimensões face à anterior geração - mais 76 mm no comprimento, 16 mm em largura e 8 mm em altura -, as proporções do Série 3 Touring surgem bem estilizadas, suportadas pelo aumento da distância entre eixos em 41 mm e do incremento das vias, 43 mm à frente e 21 mm atrás. A sustentar a qualidade construtiva e os pergaminhos da marca, refira-se que a rigidez estrutural subiu à ordem de 25%, mesmo com o peso do conjunto a cair cerca de 50 kg. Mantém-se o equilíbrio perfeito das massas, repartido a 50% pelos dois eixos. E claro, tração traseira!

A bagageira entra, agora, no clube dos 500 litros, representando aumento de 5 litros face à anterior geração, mantendo algumas das funcionalidades, caso da abertura independente do óculo traseiro, rebatimento tripartido das costas do banco posterior e portão de acionamento elétrico. Tudo de série. Sob o piso, alçapão com volume e locais apropriados para acolher a chapeleira e a rede separadora de carga, caso estes elementos não estejam a ser utilizados.

Entre as novidades, possibilidade de incluir (ainda) mais prático rebatimento elétrico do banco traseiro via comandos instalados na parede lateral da mala e dotar o piso com barras/rails antiderrapantes. Em termos práticos, a acessibilidade é ótima, devido ao plano de carga a 60 cm do solo e facilidade de fazer uso total da área de carga. A chapeleira tanto pode subir ligeiramente, como enrolar-se até às costas do banco traseiro, mas ambos os movimentos necessitam de intervenção humana, faltando o acionamento automático, como acontece na carrinha Série 5. Mas, segundo os responsáveis da marca, há que saber manter as diferenças entre os produtos...

Nos primeiros quilómetros ao volante da carrinha média da marca bávara, o que mais surpreendeu foi o incremento da suavidade de rolamento (mesmo em unidades com jantes de 19’’ e pneus de baixo perfil), o que não só confirma os novos acertos na taragem das suspensões, como a eficácia do sistema de amortecimento variável (opcional montado na unidade testada). A serenidade agora posta na condução permite colocar a carrinha Série 3 ao nível de voos mais altos do segmento, de mãos dadas com a capacidade de absorver a sensação de velocidade, por exemplo, em autoestrada.

Ocupantes e condutor têm agora à disposição interior não só de dimensões mais amplas – em particular nos lugares traseiros –, como ainda superior sensação de qualidade percebida, quer pelas texturas, quer pelo aspeto dos materiais utilizados. Obviamente que gostos (e carteira!) podem definir o ambiente, com a BMW a propor quatro linhas de acabamentos: Advantage, Sport Line, Luxury Line e M Sport. Existem novos géneros de pele, incluindo revestimentos para o tablier. Na consola central, a nova disposição de comandos, não só com botão de arranque, como os diversos botões dos modos de condução, bem como o renovado iDrive.

Tanto o monitor central tátil no topo da consola central, de grandes dimensões, como o painel de instrumentos 100% digital figuram entre as diversas personalizações possíveis, sendo agora de destacar a possibilidade da Série 3 Touring poder acolher iluminação exterior laser (até 530 metros de alcance!). Ainda na segurança, quer a travagem autónoma em situação de emergência, quer o aviso de saída de faixa de rodagem surgem entre a dotação de série. Em opção, diversos elementos tecnológicos capazes de conferir dons de condução semi autónoma, apadrinhados pelo novo e mais amplo (70% maior) head up display, capaz de projetar muita e útil informação, sempre de forma clara.

Quando chegar ao mercado nacional, em setembro, a Série 3 Touring contará logo com a versão 320d, com Diesel de 190 cv associado a caixa automática de 8 velocidades, podendo ainda acolher sistema de tração integral. A 330i, com 258 cv e motor 2 litros turbo a gasolina é outra das opções, mais capaz de desafiar os cânones desportivos.

O aumento das dimensões, em particular a distância entre eixos e largura de vias, trouxe superior refinamento dinâmico à Série 3 Touring, que agora surge muito mais confortável e segura de si no domínio da estrada. Os apontamentos digitais que dominam o habitáculo conferem a necessária esfera vanguardista, somada a qualidade geral que supera largamente a do modelo da anterior geração. Uma carrinha funcional que ficou ainda mais premium.

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Apresentação