Dacia: 15 anos de sucesso(s)

Atualidade

Por Auto Foco 18-05-2020 11:00

Fundada em 1966, em Mioveni, na Roménia, a Automobiles Dacia passou para as mãos do Grupo Renault em 1999. Há 15 anos, a marca ganhou dimensão global, com a estreia do Logan no mercado europeu. Desde então, coleciona recordes quer de produção, quer de vendas, com mais de 6,5 milhões seduzidos pela gama de carros acessíveis e simples.

 

A história da Dacia cruza-se com a da Renault… O primeiro modelo da marca, vendido só no mercado romeno, chamava-se 1100 e baseava no 8 fabricado pelos franceses entre 1962 e 1973 (sucedeu ao Dauphine e antecedeu o 12). Originalmente, o plano assentava na produção de berlina de três volumes (4 portas) com preço imbatível que respondesse às exigencias dos clientes do Leste de Europa, região que vivía período de reconstrução e transformação.

 

O êxito da fórmula confirmou-se imediatamente depois do lançamento do Logan. Logo, sem surpresa, a Renault decidiu introduzi-lo nos demais mercados do Velho Continente. Este modelo mantém-se em comercialização e totaliza mais de 1,8 milhões de unidades. O sucesso do projeto alavancou o crescimento da gama, com o Logan MCV, o Sandero, o Sandero Stepway, o Duster, o Lodgy e o Dokker. Em 15 anos, o foco da marca nunca mudou: produção de automóveis acessíveis, simples, fiáveis e robustos.

 

Atualmente, considerando apenas os clientes privados, os ‘alvos preferencias da marca, a Dacia é a 5.ª marca europeia nas vendas. Mas, para continuar a ‘alimentar’ o sucesso, o consórcio trabalha a pensar no futuro. Em março, apresentação do Spring, estudo que antecipou citadino equipado com motor elétrico e batería de iões de lítio. O arranque da produção encontra-se em contagem decrescente. A promessa é de 200 km de autonomía entre recargas dos acumuladores de energia.

 

A Dacia apareceu em Portugal apenas em 2008. Inicialmente, a marca introduziu apenas a carrinha Logan MCV, com motor 1.5 dCi. No nosso País, em 12 anos, 44.996 viaturas vendidas, com o Sandero e o Duster como os modelos mais bem-sucedidas, com 19.637 e 10.663 exemplares, respetivamente. O ano pasado, matricularam-se 6851 automóveis, número muito próximo do recorde de 6900 registado em 2017.

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Atualidade