BMW X5 xDrive30d BMW X5 xDrive30d BMW X5 xDrive30d BMW X5 xDrive30d Posição ao volante fácil de ajustar e conforto elevado, incluindo vários detalhes da linha M opcional. O painel de instrumentação digital, com ecrã de 12,3’’, é de série e o ‘head-up display’ custa 1440 euros BMW X5 xDrive30d BMW X5 xDrive30d BMW X5 xDrive30d BMW X5 xDrive30d BMW X5 xDrive30d Há várias ajudas avançadas à condução, incluindo aviso de aproximação a outros veículos e reconhecimento de peões. Inteligente! O bloco de 6 cilindros em linha tem muita ‘força’, mas a acústica Diesel até podia ser mais discreta... BMW X5 xDrive30d O acesso ‘bipartido’ à grande zona de carga é funcional, uma vez que a parte inferior (do tipo basculante) abre em separado do restante portão Bancos (pele) têm excelentes apoios laterais A posição dos bancos é mais baixa do que no caso do GLE e a distância até aos encostos da frente também não é tão ampla. A largura é idêntica BMW X5 xDrive30d BMW X5 xDrive30d BMW X5 xDrive30d BMW X5 xDrive30d BMW X5 xDrive30d BMW X5 xDrive30d BMW X5 xDrive30d BMW X5 xDrive30d BMW X5 xDrive30d BMW X5 xDrive30d O tamanho exterior é muito equivalente e na distância entre eixos o GLE tem apenas mais 2 centímetros do que o novo X5! Ambos são Classe 2 nas portagens das autoestradas nacionais Mercedes-Benz GLE 350 d 4Matic Mercedes-Benz GLE 350 d 4Matic Mercedes-Benz GLE 350 d 4Matic Mercedes-Benz GLE 350 d 4Matic Mercedes-Benz GLE 350 d 4Matic Mercedes-Benz GLE 350 d 4Matic Mercedes-Benz GLE 350 d 4Matic Mercedes-Benz GLE 350 d 4Matic Mercedes-Benz GLE 350 d 4Matic Mercedes-Benz GLE 350 d 4Matic Mercedes-Benz GLE 350 d 4Matic Mercedes-Benz GLE 350 d 4Matic Mercedes-Benz GLE 350 d 4Matic Mercedes-Benz GLE 350 d 4Matic Mercedes-Benz GLE 350 d 4Matic Mercedes-Benz GLE 350 d 4Matic As dimensões dos ecrãs digitais, quer no tablier, quer no painel à frente do condutor, também são iguais às das do X5: todos com 12,3’’. É possível destacar o sistema MBUX com instruções por voz e o novo ‘Head-up Display’ com mais indicações gráficas Mercedes-Benz GLE 350 d 4Matic Mercedes-Benz GLE 350 d 4Matic Mercedes-Benz GLE 350 d 4Matic Além das configurações Eco e Comfort, é possível selecionar 2 modos para ‘off-road’. No nível mais exigente, limite de 45 km/h Mercedes-Benz GLE 350 d 4Matic Mercedes-Benz GLE 350 d 4Matic Mercedes-Benz GLE 350 d 4Matic Mercedes-Benz GLE 350 d 4Matic Mercedes-Benz GLE 350 d 4Matic

Mercedes-Benz GLE 350 d 4Matic vs BMW X5 xDrive30d

Tanto peso, tanta leveza…

CONFRONTO

Por João Ouro 26-11-2019 13:10

Fotos: Gonçalo Martins

A diferença é mínima, uma vez que há apenas 7 cv a favor do novo bloco de 6 cilindros da Mercedes-Benz e deste GLE, em detrimento do motor que equipa o X5 da BMW. Nada de mais, até porque essa potência (272 cv contra 265 cv) é depois eliminada nas medições efetivas e esbatida em várias variáveis. Como quem diz: anulada no próprio alcatrão! Num caso como noutro, o que mais surpreende é a quase leveza da condução em estrada, tendo em conta o tipo de estrutura, as carroçarias e os formatos SUV, com pesos bem acima das duas toneladas. A destreza dinâmica é (mesmo) inegável, como se observa em todas as medições, desde as acelerações (menos de 7 s até 100 km/h), passando pelas recuperações (entre 3 a 5 segundos), as quais são ligeiramente melhores no BMW, cuja qualidade de condução é ainda superior. E, de facto, esse é um pressuposto que poderá condicionar todos os restantes, face à elevada eficácia do chassis e das suspensões do X5, nomeadamente nos trajetos de perfil encadeado e em curva, como se se tratasse de outro qualquer... BMW. Inclusive com o tato parecido ao de um Série 3 ou de um Série 5, por exemplo, só para se ter uma ideia objetiva do que se pretende dizer!

De certa forma esse é o maior trunfo da 4.ª geração do X5, tendo sido projetado para obedecer o melhor possível em curva e anular as prováveis transferências de massa (ainda para mais com amortecedores adaptativos), sem prejuízo da altura e com níveis de conforto elevados, não abdicando sequer de aptidões off-road interessantes: ângulo de entrada de 25º, saída com 22º e ventral de 20º, além dos 214 mm na distância livre ao solo. No GLE esses valores também apontam para uma prática de todo-o-terreno que poderá surpreender os menos avisados: ângulos de entrada e saída com 25º, rampa com 17º (ventral) e altura ao solo a partir de 200 mm. Por acréscimo, a versão testada integra pack Off-Road específico (2350 €) com redutoras (tecla Low Range na consola) e sistema automático para descida de declives inclinados (DSR), neste último caso com possibilidade de ajustar a velocidade. Não há impossíveis!

Note-se que no caso do GLE as mexidas efetuadas também abrangeram a vertente aerodinâmica e o conforto em estrada é elevado, também por culpa da suspensão pneumática (Airmatic), a qual consegue superar todas as contrariedades do asfalto, coadjuvada pelos Pirelli PZero 275/50 (à frente e atrás) com jantes de 20’’, incluídas na linha AMG. O X5 também utiliza o mesmo tipo de borracha da Pirelli, embora com medidas mais largas: 275/35 à frente e 315/30 atrás com jantes de... 22’’. Pois!

Esse conjunto (opção) assegura grande firmeza, baixo ruído e extremo conforto, embora o GLE seja um pouco melhor no último parâmetro, a que se junta um habitáculo bem insonorizado, aí quase à semelhança do X5, ambos com ótima qualidade de materiais e acabamentos, contando ainda com sistemas de apoio à condução evoluídos e conteúdos avançados de infotainment. Entre estes, destaque para os enormes monitores digitais (de 12,3’’) no tablier e à frente dos volantes, sendo também possível elogiar no Mercedes-Benz o novo Head-up Display, o qual projeta mais dados e informações numa zona com excelente campo de visão no para-brisas, com três círculos gráficos possíveis de configurar de forma isolada, quase como acontece nos ecrãs de bordo. Para já, nesta matéria, não se conhece melhor!

Ainda no GLE, a linha AMG (opção) também reforça o impacto exterior, nomeadamente pela diferenciação que é dada pela grelha específica, frisos, spoilers e jantes. Por dentro, há ainda inúmeros pormaiores exclusivos e o habitáculo é bastante amplo, existindo mais centímetros a partir dos bancos traseiros do que no X5, este prejudicado pela posição menos elevada dos assentos.

A distância até aos encostos da frente (75 cm) é melhor no GLE do que no caso do adversário (71 cm), mas, em ambos, o lugar do meio é apertado e pouco aconselhável para viagens longas, mesmo que o túnel da transmissão do BMW (4x4 oblige) até tenha uma dimensão menos incómoda. Repare-se que o SUV do construtor de Munique também cresceu por fora (36 mm no comprimento, 66 mm na largura e 19 mm em altura) e a distância entre eixos aumentou 42 mm, pelo que o habitáculo conquistou vários centímetros em sítios estratégicos, ainda assim abaixo do GLE. Este último conta com mais 7 cm atrás do que antes (no comprimento), por culpa da maior distância entre eixos (8 cm), ao mesmo tempo que a altura disponível ao teto progrediu 3,3 cm.

Ambas as bagageiras são gigantescas e os acessos muito práticos (comando elétrico), embora a abertura dupla do portão do X5 possa ser um pormenor mais funcional, igualmente de abertura/fecho automático, ao mesmo tempo que a entrada/altura do plano de carga está numa posição mais cómoda. Já o rebatimento dos encostos dos bancos traseiros (40:20:40) é fácil de efetuar a partir de teclas existentes nas laterais.

De regresso à dinâmica, interessa salientar o ótimo desempenho das mecânicas Diesel, sem vibrações indesejáveis, em especial nas velocidades estabilizadas, aí com menor ruído por parte do agregado do Mercedes-Benz, embora o consumo médio seja um pouco mais elevado: cerca de 9,9/100 km contra 9 l/100 km do X5. Nada mau, face às toneladas a jogo e às inerentes prestações. A transmissão automática 9G-Tronic do GLE tem um desempenho à altura, sendo eficaz e rápida nas trocas (com patilhas no volante), mesmo que o modo Sport até pudesse alterar de forma mais categórica essa matriz. No X5, apesar da menor potência, o ímpeto é ligeiramente superior e as reações mais imediatas, ainda mais se se configurar o programa Sport (além do ECO Pro e do Comfort).

A resposta perentória da caixa automática (da ZF, de 8 relações) é outro aspeto a elogiar, sem hiatos ou arrastamento, contribuindo para a já mencionada supremacia dinâmica. O tato da condução é direto, leve e preciso (direção ativa integral por 1300 €), inclusive nas travagens à bruta, tendo-se alcançado 35,2 m a partir de 100 km/h. Nada habitual num SUV do género, só ao alcance dos melhores, sem dúvida! E não é demais repetir essa ideia, permitindo diferenciá-lo face ao novo GLE, e isto apesar da grande eficácia e do conforto deste último, por vezes quase sem se sentir a velocidade. É a tal leveza que é comum a ambos...

É quase um sacrilégio que um confronto entre grandes SUV familiares seja decidido pelo lado da vertente dinâmica, mas isso também explica o tipo de evolução que estes automóveis têm tido. Há, de facto, aspetos parecidos (e equivalentes) entre as versões testadas, desde as mecânicas Diesel (272 cv no GLE e 265 cv no X5), passando pelas tecnologias (segurança ativa/passiva incluída) e pelos equipamentos propostos. Tudo de topo, avançado e muito... moderno. Nada falta! A diferença maior é dada pela extrema eficácia do chassis do X5 e pela destreza que impõe na condução, acima da do GLE, mesmo que este até consiga superiorizar-se ao nível do conforto.

Ler Mais

Ficha Técnica

Características

BMW X5

xDRIVE 30d

MERCEDES GLE

350 d 4Matic

Motor
Arquitetura 6 cilindros em linha 6 cilindros em linha
Capacidade 2993 cc 2925 cc
Alimentação Inj. direta CR, TGV, intercooler Inj. direta CR, TGV, intercooler
Distribuição 2 a.c.c./24 v 2 a.c.c/24 v
Potência 265 cv/4000 rpm 272 cv/3400-4600 rpm
Binário 620 Nm/2000-2500 rpm 600 Nm/1200-3200 rpm
Transmissão
Tração Integral permanente Integral permanente
Caixa de velocidades Automática de 8 velocidades Automática de 9 velocidades
Chassis
Suspensão F Ind. braços duplos Ind. braços duplos
Suspensão T Ind. multibraços Ind. Multibraços
Travões F/T Discos ventilados Discos ventilados
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/12,6 m Elétrica/12 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,922 / 2,004 / 1,745 m 4,924/1,947/1,796 m
Distância entre eixos 2,975 m 2,995 m
Mala 650 - 1870 litros 630-2055 litros
Depósito de combustível 80 litros 74 litros
Pneus F 275/35 R22 7,5jx18-235/60 R18
Pneus T 315/30 R22 7,5jx18-235/60 R18
Peso 2185 kg 2235 kg
Relação peso/potência 8,24 kg/cv 8,21 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 230 km/h 230 km/h
Acel. 0-100 km/h 6,5 s 6,6 s
Consumo médio 6 l/100 km 7,5 l/100 km
Emissões de CO2 158 g/km 189 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 2 anos s/ limite de km 2 anos sem limite de km
Pintura/Corrosão 3/12 anos 3/30 anos
Intervalos entre revisões 30000 km 30000 km
Imposto de circulação (IUC) 634,74 € 634,74 €

Medições

BMW

Acelerações
0-50 km/h 2,1 s
0-100 / 130 km/h 6,6 s
0-400 / 0-1000 m 14,7/27,5 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 3,2 s
60-100 km/h (D) 3,9 s
80-120 km/h (D) 4,9 s
Travagem
100-0/50-0km/h 35,2/8,8 m
Consumos
Consumo médio 8,8 l/100km
Autonomia 909 km

Medições

MERCEDES

Acelerações
0-50 km/h 2,5 s
0-100 / 130 km/h 7,6 s
0-400 / 0-1000 m 15,5 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 3,3 s
60-100 km/h (D) 4,2 s
80-120 km/h (D) 5,5 s
Travagem
100-0/50-0km/h 36,5/9,4 m
Consumos
Consumo médio 9,9 l/100km
Autonomia 747 km