Toyota C-HR 2.0 Hybrid GR Sport

Atiçaram o crossover híbrido!

TESTE

Por Paulo Sérgio Cardoso 19-12-2021 07:00

Fotos: Gonçalo Martins

A Toyota tem vindo a espalhar charme com a sigla Gazoo Racing, seja na criação de modelos com ADN de competição (GR Supra e GR Yaris), seja a utilizar a força da sigla para dar vida a novas versões, de realce mais dinâmico. A que nem o SUV escapou!

Aproveitando a imagem (ainda) original e vincadamente desportiva do C-HR, o acabamento GR Sport - que agora ocupa o topo da gama, apenas e só associado à motorização 2.0 Hybrid de 184 cv - nutre-se de muita personalidade estética e de diferenciados apontamentos mecânicos. Em evidência direta estão, desde logo, as jantes de 19’’ que calçam aderentes Continental PremiumContact6 na medida 225/45, as capas vermelhas nos retrovisores e o tejadilho pintado a preto (Night Sky). Tudo bem enquadrado na restante estética e com os grupos óticos LED (com piscas dinâmicos) que animam o conjunto, cuja imagem foi igualmente modernizada há precisamente dois anos.

Além da inscrição na tampa da bagageira, a sigla GR surge também no botão de ignição e gravada nas costas dos bancos, contando estes com confortáveis e bem acabados revestimentos em Alcantara com aplicações em pele e costuras em branco e vermelho, talvez o elemento mais marcante e diferenciador da versão. Volante e fole da alavanca da caixa surgem com semelhantes acabamentos, cosidos a linha vermelha. Aplicações em preto brilhante no volante, tablier e consola central tentam, juntamente com o tecido escuro que reveste o teto, sintonizar a restante atmosfera vivida a bordo com o necessário cariz desportivo.

A Toyota não poupou recursos para esta versão, dotando o banco do condutor com ajustes elétricos e aquecimento para os dois passageiros da frente; as portas abrem-se ou trancam-se através de sistema mãos-livres e luzes na base dos retrovisores projetam a sigla «C-HR» no chão; o sistema de som JBL abrilhanta a qualidade multimédia.

As ajudas à condução estão também presentes em larga escala, com câmara traseira a complementar o trabalho dos sensores à frente e atrás, incluindo sensor de aproximação de veículos à retaguarda, muito útil à saída de estacionamentos, em marcha-atrás. Presente, mas de atuação brusca e nervosa, é o sistema de travagem de emergência, que não hesitou em aplicar diversas travagens a fundo aquando a realização de manobras a baixa velocidade, por exemplo, na aproximação às paredes de garagens… Cruise control adaptativo, correção de volante face a saídas involuntárias da faixa de rodagem (com aviso sonoro incluído) e alerta de veículos na zona de ângulo morto são outras das credenciais que contribuem para a simplificação da condução.

As formas da carroçaria acabam por influenciar (negativamente) a faceta mais familiar, não sendo o C-HR referência em termos de espaço para ocupantes e carga: quem se senta atrás tem a visibilidade lateral tapada pelo desenho da porta (com puxador exterior em posição elevada) e a bagageira não vai além de modestos 358 litros. Bem melhor é o acesso ao habitáculo, com movimentos naturais do corpo e sem esforços, especialmente nos lugares da frente.

A solução mecânica híbrida, além de ser já imagem de marca da Toyota, é parte ativa na facilidade de utilização do C-HR em meios urbanos, com arranques suaves quase sempre em modo elétrico e enorme simplicidade na realização de manobras. Mesmo contando o GR Sport com suspensão ligeiramente mais firme, o conforto e a serenidade continuam a ser as tónicas dominantes, a que não será alheio o facto de o motor térmico passar grande parte do tempo desligado – perto de 65% do tempo em condução urbana, informação que nos chega através do computador de bordo.

Este motor 2.0 tem desempenho francamente superior à mais conhecida unidade 1.8 também presente na gama, não só pela forma lesta como acelera, mas também pela capacidade de mais facilmente conseguir manter ritmos elevados em autoestrada e pelo inferior ruído de funcionamento, por ser necessário acelerar menos para se atingir velocidades mais altas, característica inerente à utilização da transmissão do tipo variação contínua.

Não sendo propriamente um desportivo a tratar dos seus 184 cv, este C-HR 2.0 GR Sport oferece ao condutor fidedigna comunicação com a estrada, com inferior rolamento lateral da carroçaria nas mais rápidas transições de trajetória, e por intermédio de uma direção que parece ter ganho um pouco de peso informativo. Através dos (vários) botões no volante e pequeno monitor digital do computador de bordo colocado entre os dois mostradores analógicos da instrumentação, chega-se ao intrincado menu para selecionar um dos três modos de condução. Nestes pormenores, o mesmo se passando com o grafismo do painel de bordo e do sistema multimédia, o C-HR começa a acusar o passar dos anos, em particular face a concorrentes cada vez mais digitalizados e de mais vanguardistas soluções ergonómicas.

O feitio ecológico e poupado desta muito eficiente mecânica 2.0 de quatro cilindros associada a unidade elétrica espelha-se nos consumos contidos, que em meio urbano facilmente se ficam pelos 5,2 l/100 km, com os cerca de 400 km realizados neste teste a desvendar uma média final abaixo dos 6 l/100 km. Os 7 anos ou 160.000 km de garantia geral acrescentam credibilidade ao produto e à marca.

Preço:

Toyota C-HR 2.0 Hybrid GR Sport: Desde 39.030 € (mediante campanha em vigor à data de publicação deste teste)

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

TOYOTA C-HR

2.0 HYBRID GR SPORT

Motor
Arquitetura 4 cilindros+motor elétrico
Capacidade 1987 cc
Alimentação Inj. direta e indireta
Distribuição 2 a.c.c./16v
Potência 184 cv
Binário 190 Nm
Transmissão
Tração Dianteira
Caixa de velocidades Automática, do tipo eCVT
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Ind. Duplos triângulos
Travões F/T Discos ventilados/Discos
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/11 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,395/1,795/1,565 m
Distância entre eixos 2,64m
Mala 358 litros
Depósito de combustível 43 litros
Pneus F 225/45 R19
Pneus T 225/45 R19
Peso 1560 kg
Relação peso/potência 8,5 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 180 km/h
Acel. 0-100 km/h 8,2 s
Consumo médio 5,3 l/100 km
Emissões de CO2 120 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 7 anos ou 160.000 km
Pintura/Corrosão 3/12 anos
Intervalos entre revisões 15000 km
Imposto de circulação (IUC) 204,81 €

Medições

TOYOTA

Acelerações
0-50 km/h 3,2 s
0-100 / 130 km/h 8,3 / 13 s
0-400 / 0-1000 m 16,1 / 29,1 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 4 s
60-100 km/h (D) 4,5 s
80-120 km/h (D) 5,4 s
Travagem
100-0/50-0km/h 36 /9,1 m
Consumos
Consumo médio 5,7 l/100km
Autonomia 754 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE