Dacia Duster 1.0 Eco-G Bi-Fuel Extreme

Enquanto não chega a nova geração…

TESTE

Por Paulo Sérgio Cardoso 27-09-2022 18:10

Fotos: Gonçalo Martins

Ao consultar o configurador na página nacional da Dacia na Internet, já só irá encontrar à venda as futuras variantes do Duster, com a nova imagem de marca. Mas o certo é que as entregas desses novos Duster, que basicamente diferem pela grelha e logótipo redesenhado, estão previstas para ocorrer a partir do primeiro trimestre de 2023… Até lá, há stock em solo nacional de unidades da série limitada Extreme. Fique a conhecê-la melhor, em conjugação com a motorização a GPL (e gasolina).

São subtis as aplicações decorativas a laranja na grelha frontal, nas capas dos retrovisores e até a tomar conta da inscrição ‘Duster’ nas barras de tejadilho e na tampa da mala – e que sobressairiam mais ainda conjugadas com outra pintura exterior que não laranja. No interior a temática ‘laranja’ mantém-se como elemento decorativo presente nas saídas de ventilação, nas portas e nas laterais da consola central. Mais ‘laranja’ na linha que cose os revestimentos em pele dos bancos e do apoio de braços central, mas num conjunto que resulta subtil tal a leveza da sua presença.

Da série Extreme fazem ainda parte as jantes pretas de 17’’ que aqui calçam pneus Continental EcoContact 6, o acabamento em tom acetinado nas barras de tejadilho e nos para-choques, criando zonas de contraste com o escuro dos restantes plásticos exteriores, e ainda os vidros escurecidos, tudo trabalhando em prol de uma imagem cada vez menos ‘low cost’.

O sistema multimédia em monitor tátil de 8’’ incluindo sistema de navegação, ligação sem fios para smartphone (CarPlay e Androide Auto) e câmara de ajuda ao estacionamento com vistas múltiplas (não só da traseira, mas também das zonas laterais da carroçaria) e a climatização automática compõem os elementos tecnológicos outrora quase impensáveis a bordo de um Dacia. Com a oferta de equipamentos e ajudas à condução complementada pelos sensores de parque e aviso de presença de veículos em zona de ângulo morto, a série limitada Extreme conjuga mais equipamentos com um reforço de personalidade.

A par da simplicidade ergonómica e de um preço a rondar os 20 mil euros, não se espere milagres na qualidade dos materiais e nos acabamentos, se bem que estão agora já muitos furos acima de quando o início da carreira do anterior Duster. Ao interior chegam alguns ruídos de rolamento e aerodinâmicos acima da média, explicados pelos reduzidos (e caros de aplicar) revestimentos isolantes. O Duster nasceu enquanto SUV despreocupado e pouco focado em requintes e pormenores, estando perfeitamente orientado para clientes cientes da inigualável relação custo/benefício, com interior espaçoso face às dimensões exteriores e mala (445 litros) apta para uso familiar.

Reduzidos custos de utilização

Para reforçar o estatuto de SUV mais económico do mercado, a motorização Bi-Fuel 1.0 turbo de 100 cv permite verdadeiras contenções orçamentais na hora de atestar o depósito de GPL – que complementado pelo normal depósito a gasolina resulta numa autonomia média superior a 1000 km. Com custo por litro inferior a 1 euro (a rondar os 0,9 €/litro à data da realização deste trabalho), mesmo com consumos a GPL que possam rondar os 9 l/100 km – é uma das características desta tecnologia – os gastos com combustível são realmente contidos, com este Duster Eco-G a permitir mais de 450 km de autonomia a GPL. No nosso teste, fora de ambiente urbano, conseguimos médias reais até inferiores a 8 l/100 km, o que permite rentabilizar um abastecimento a GPL a rondar os 45 € ao longo de mais de 500 km. Alimentado a gasolina, o bloco 1.0 turbo de três cilindros e 100 cv regista médias em torno dos 7,5-8 l/100 km.

O motor evidencia uma excelente vivacidade face à sua capacidade e características, com desempenho auxiliado pelo relativamente contido peso do conjunto e correto escalonamento da caixa de seis velocidades. A mecânica lida muito bem com os baixos e médios regimes e apenas se nota alguma falta de linearidade na resposta aos movimentos no acelerador. A suspensão nasceu para ser resistente e saber lidar com maus pisos e a direção é algo vaga.

Num Portugal de leis esquisitas para o setor automóvel, o Duster é taxado como Classe 2 nas portagens se não estiver equipado com dispositivo de Via Verde.

Preço:

Dacia Duster 1.0 Eco-G Bi-Fuel Extreme – 19.650 €

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

DACIA DUSTER

TCE Eco-G Extreme

Motor
Arquitetura 3 cilindros em linha
Capacidade 999 cc
Alimentação Injeção indireta, turbo, interc.
Distribuição 2 a.c.c./12V
Potência 100 cv/4600-5000 rpm
Binário 170 Nm/2000-3500 rpm
Transmissão
Tração Dianteira
Caixa de velocidades Manual de 6 vel.
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Eixo de torção
Travões F/T Discos ventilados/Tambores
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/10,7 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,341/1,804/1,693 m
Distância entre eixos 2,673m
Mala 445-1478 litros
Depósito de combustível 50 litros
Pneus F 215/60 R17
Pneus T 215/60 R17
Peso 1331 kg
Relação peso/potência 13,31 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 168 km/h
Acel. 0-100 km/h 13,8 s
Consumo médio 7 l/100 km
Emissões de CO2 127 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 3 anos sem limite de km
Pintura/Corrosão 3/8 anos
Intervalos entre revisões 30000 km
Imposto de circulação (IUC) 137,68 €

Medições

DACIA

Acelerações
0-50 km/h 4 s
0-100 / 130 km/h 13,4/19,5 s
0-400 / 0-1000 m 18/32,9 s
Recuperações
40-80 km/h 3.ª 5,8 s
60-100 km/h 3.ª/4.ª/5.ª 6,4 s
80-120 km/h 4.ª/5.ª/6.ª 9,8 s
Travagem
100-0/50-0km/h 35,3/9 m
Consumos
Consumo médio 6,5 l/100km
Autonomia 769 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE