Mercedes-Benz CLA Shooting Brake 200 d VS. Kia Proceed 1.6 CRDi GT Line

Conversas improváveis

CONFRONTO

Por Paulo Sérgio Cardoso 08-03-2020 10:00

Fotos: Gonçalo Martins

Foi a Mercedes que abriu as hostilidades da nova era do conceito Shooting Brake quando em 2004 o estreou no CLS, tendo posteriormente (2015) alargado a forma ao mais compacto CLA. Modelo que entra agora na segunda vaga de vida, com esta nova geração a melhorar os propósitos práticos, mantendo o cruzamento estético entre carrinha e coupé.

Singularidade de proposta que apenas a Kia decidiu recentemente seguir, com a carrinha ProCeed a surgir como única hipótese alternativa de conceito, se bem que estejam ambas devidamente separadas em termos de preço e motorizações.

Servindo os propósitos diferenciadores, a CLA Shooting Brake assume o verdadeiro perfil coupé com a ausência de molduras nos vidros laterais, ideia deixada de lado pela Kia (representa elevados custos que dificilmente o cliente fora da esfera premium estaria disposto a suportar), com a ProCeed a surgir mais colada à Ceed SW, não obstante ser 4,3 cm mais baixa.

Com a funcionalidade a surgir um pouco a trote do design, estas duas carrinhas caracterizam-se por acesso estreito e elevado à bagageira, com pronunciado degrau entre o piso e o plano do para-choques. Mas neste ponto é (curiosamente) a Mercedes a levar a melhor, fruto do portão mais largo que surge como um dos pontos melhorados face ao modelo da anterior geração. Nos dois modelos, a tampa da mala conta com abertura e fecho elétrico.

Embora a força do design seja soberana nas linhas descendentes das traseiras, a capacidade dos compartimentos de carga chega a surpreender: 505 litros na Mercedes (sendo até maior face à carrinha da Classe C) e 594 litros na Kia (não muito longe dos 625 da Ceed SW). A Mercedes volta a diferenciar-se pelas mais refinadas soluções práticas, caso da chapeleira que precisa apenas de um toque para se enrolar e ainda pelo rebatimento tripartido (40:20:40) das costas do banco traseiro. Na Kia há a salientar os diversos e sempre úteis alçapões sob o piso, com diversas formas e motivos de utilidade.sob o piso, com diversas formas e motivos de utilidade.

O formato descendente das linhas de tejadilho, que contribui decididamente para a silhueta desportiva e diferenciadora destas carroçarias, prejudica um pouco o acesso aos lugares posteriores, mas sem que tal possa ser visto como problemático. Na ProCeed existe um pouco mais de centímetros para alojar os passageiros do banco traseiro, em particular, em altura – na CLA, a partilha de plataforma e distância entre eixos com o Classe A, não permite estender a habitabilidade. Já nos lugares da frente, não obstantes os bancos ótimos e ergonómicos da ProCeed GT Line face aos poucos envolventes bancos revestidos em pele presentes nesta unidade da CLA SB, a posição de condução do Kia poderia surgir em plano mais baixo e desportivo, o que iria ao encontro da atitude dinâmica do modelo.

Mais do que a dinâmica (como veremos adiante) são os interiores que mais diferenciam as origens (premium ou não) destas carrinhas. No modelo alemão, o recurso às recentes soluções de digitalização do habitáculo confere ambiente vanguardista, de mãos dadas com o sistema Mercedes Me, possibilitando uma quase conversa com o carro nas solicitações funcionais via comandos vocais. O único problema é que quase tudo o que se vê... é opcional. Ao contrário da política mais generalista da Kia, com o nível único de equipamento (GT Line) a propor, de origem, elementos como os ótimos bancos em Alcantara e pele, navegação, faróis LED com comutação automática entre médios e máximos, alarme, carregador indutivo para smartphone ou sistema de acesso Mãos-Livres. Na CLA, quase tudo pode ser escolhido a gosto, do revestimento dos bancos à cor do mesmo, passando pelos frisos, tudo possível de coordenar em linhas de personalização. A Kia recorreu a revestimentos maioritariamente negros para reforço da atmosfera desportiva, mas tornou o interior de tal forma escuro que é por vezes difícil encontrar objetos pousados na consola central e bolsas de portas. Os plásticos podem ser visualmente mais banais face às soluções aplicadas pela Mercedes, mas o certo é que a construção mostra ser à prova de bala.

Ambas as marcas incluem específicas taragens no amortecimento, com a Kia a anunciar incremento de 13% na rigidez das molas no eixo dianteiro e consideráveis 44% atrás, sendo revelador das atenções colocadas na dinâmica. Nos dois modelos existem, igualmente, distintas calibragens na direção de forma a aproximar o condutor da estrada. Soluções que resultam bem conseguidas, em conjunto com as definições dos modos de condução (em particular no Mercedes, onde resultam mais diferenciadores, incluindo modo Velejar da caixa automática em Eco, e a possibilidade de somar a opcional amortecimento variável).

Em ambas as carrinhas, conte-se com cuidados níveis de amortecimento, onde a vertente dinâmica em nada interfere no conforto e bem-estar. Mais uma vez, o modelo coreano surpreende pela suavidade e robustez do contacto das rodas com o alcatrão, e pelo funcionamento da caixa automática e motor Diesel. A CLA tem o condão de reações mais puras e a possibilidade de contar com motores mais potentes.

É interessante verificar a interpretação Shooting Brake que a Kia traz a este segmento, nada perdendo para o estilo carismático inaugurado pelo Mercedes CLA. Pode não apresentar as soluções vanguardistas e a quase total digitalização do habitáculo dos atuais Mercedes, mas nada perde na agradabilidade de condução e na forma como deixa chegar ao condutor as sensações de um desportivo que se quer refinado. Menos rico em possibilidades de personalização (por isso, menos exclusivo...), o certo é que o modelo coreano surge bem apetrechado de equipamentos de série. Mesmo sendo modelo de paixões, o Pro-Ceed não esquece os sete anos de garantia.

Ler Mais

Ficha Técnica

Características

MERCEDES CLA

Shooting Brake 200d

KIA PROCEED

1.6 CRDI GT Line 7-DCT

Motor
Arquitetura 4 cilindros em linha 4 cilindros em linha
Capacidade 1950 cc 1598 cc
Alimentação Inj. direta CR, TGV, intercooler Inj. direta CR, TGV, intercooler
Distribuição 2 a.c.c./16v 2 a.c.c./16v
Potência 150 cv/3400-4400 rpm 136 cv/4000 rpm
Binário 320 Nm/1400-3200 rpm 320 Nm/2000-2250 rpm
Transmissão
Tração Dianteira Dianteira
Caixa de velocidades Automática 8 velocidades c/ dupla embraiagem Automática de 7 velocidades
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson Ind. McPherson
Suspensão T Ind. Multibraços Ind. multibraços
Travões F/T Discos ventilados/Discos Discos ventilados/Discos
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/11,1 m Elétrica/10,6 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,688/1,830/1,442 m 4,605/1,800/1,422 m
Distância entre eixos 2,729 m 2,65 m
Mala 505-1370 litros 594-1545 litros
Depósito de combustível 43 litros 50 litros
Pneus F 6.5jx16 - 205/60 R16 7,5jx17-225/45 R17
Pneus T 6.5jx16 - 205/60 R16 7,5jx17-225/45 R17
Peso 1570 kg 1465 kg
Relação peso/potência 10,5 kg/cv 10,77 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 221 km/h 200 km/h
Acel. 0-100 km/h 8,4 s 10,1 s
Consumo médio 4,2 l/100 km 4,2 l/100 km
Emissões de CO2 128 g/km 110 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 2 anos sem limite de km 7 anos/150.000 km
Pintura/Corrosão 3/30 anos 3/12 anos
Intervalos entre revisões 25000 km 30000 km
Imposto de circulação (IUC) 224,33 € 146,8 €

Medições

MERCEDES

Acelerações
0-50 km/h 3 s
0-100 / 130 km/h 8/13,1 s
0-400 / 0-1000 m 15,9/29,1 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 3,8 s
60-100 km/h (D) 4,8 s
80-120 km/h (D) 5,7 s
Travagem
100-0/50-0km/h 37,1/9,2 m
Consumos
Consumo médio 5,8 l/100km
Autonomia 741 km

Medições

KIA

Acelerações
0-50 km/h 3,6 s
0-100 / 130 km/h 9,6 s
0-400 / 0-1000 m 15,4 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 4,1 s
60-100 km/h (D) 5,2 s
80-120 km/h (D) 6,4 s
Travagem
100-0/50-0km/h 35,6/8,8 m
Consumos
Consumo médio 5,6 l/100km
Autonomia 892 km