DS 4 1.5 BlueHDI 130 vs Audi A3 Sportback 30 TDI

Resistência até à última

CONFRONTO

Por João Ouro 25-12-2022 07:00

Fotos: Gonçalo Martins

Os automóveis Diesel estão em verdadeira contraposição ao mercado, mas mesmo depois de as políticas ambientais terem ‘diabolizado’ os seus motores, ainda tão eficientes. Apesar dessa tendência, juntámos dois modelos a gasóleo que ainda resistem à transição para a gasolina e elétrico.

As notícias não são animadoras para os Diesel na Europa, até porque o horizonte de 2035 já se encontra próximo. É já ali...! Aliás, a partir desse ano, a venda de automóveis novos com motor a combustão será interdita no Velho Continente, mesmo que essa medida não se aplique a todos os mercados mundiais. Até lá, os Diesel percorrerão, certamente, um trajeto bastante penoso, mesmo que ainda possam ser modelos bastante válidos sob inúmeros aspetos.

Esse é o terrível paradoxo que se pressente nas gamas do DS 4 e do Audi A3, ambas com motorizações Diesel modernas e pouco poluentes, mas cujo estigma é preciso ultrapassar. Se se esquecer a narrativa que preside à diabolização destas mecânicas, a análise per si desvenda alguns trunfos que são difíceis de igualar por outras propostas, nomeadamente em matéria de consumos e de economia e, já agora, em termos de autonomia, um dado tão em foco na atual agenda dos automóveis.

A reconhecida sigla TDI volta à ribalta no Audi A3, neste caso numa versão de acesso à gama (30 TDI) com uma potência anunciada de 116 cv, numa espécie de atualização do bloco 2.0 TDI que também equipa outras versões. Para atenuar o lado das emissões (NOx), o A3 Sportback recorre à solução AdBlue, exatamente como sucede no bloco 1.5 BlueHDi da Stellantis (antes PSA), que equipa o modelo da parisiense DS. Esta última é uma marca com posicionamento diferenciado e de pretenso luxo, e isto apesar do segmento em causa, pelo que o contraponto com a atual geração do A3 (substitui a de 2016), referência na classe, surge de forma natural.

À primeira vista, por fora e por dentro, a estética do DS 4 é mais marcante, sendo um modelo mil vezes mais desenhado, além de ter outros pormaiores diferentes, como a maior dimensão da grelha (preto brilhante) e a verticalidade dos grupos óticos LED e em formato de asa, além de frisos e contornos especiais, assim como falsas saídas de escape cromadas. Sem esquecer os puxadores de portas embutidos na carroçaria (à face) e de abertura automática.

No habitáculo, o DS é ainda mais sofisticado do que o A3, como se vê na iluminação háptica (basta deslizar o dedo junto às luzes de cortesia) e através de alguns forros, tecidos e revestimentos. A própria dimensão, formato e contorno dos bancos (com apoios laterais mais pronunciados) também sugere uma melhor perceção ao nível do conforto, o que se verifica na prática, além de uma superior ergonomia e interação do condutor com as funções de bordo. No A3, a introdução de infotainment mais avançado (ecrã central de 10,1’’) é mais-valia a ter em conta, decalcando o ambiente gráfico e funcional dos topos de gama da Audi, embora a versão em causa (Base) não usufrua de grandes mordomias, tendo apenas o essencial, sem prejuízo do que é standard ao nível dos equipamentos de segurança.

No caso do DS 4, a versão Performance Line é mais luxuosa do que a base de gama (Bastille+), acrescentando bancos em Alcantara (de série), câmara à retaguarda, sensores acústicos de ajuda ao estacionamento à frente e atrás, jantes em liga leve de 19’’ e volante em couro com inserções em carbono, entre outros itens. Está uns furos acima da do Audi nesse domínio, mas isso reflete-se no preço, quase 8 mil euros acima. Note-se que o A3, como é usual na Audi, também poderá configurar-se com vários opcionais, consoante as preferências (e a versão), mas aí o preço tornar-se-á bem diferente. Há opções avançadas que não são comuns no segmento, como por exemplo os faróis LED Matrix, head-up display ou o amortecimento adaptativo/variável, entre outros, os quais também existem na gama DS 4.

Prestações equivalentes

Apesar da maior potência do 1.5 BlueHDI do DS 4 (de 130 cv), o A3 equipara-se ao nível das prestações e, nalguns casos, é um nadinha superior (acelerações), por culpa do igual binário do bloco de 1968 cc (300 Nm) e do ajuste sincronizado da caixa manual, cujo engrenamento é suave. Aliás, toda a condução do Audi, que utiliza a base do VW Golf (MQB II), é confortável e levezinha q.b., inclusive com boas reações por parte da suspensão e da direção, embora o ruído de estrada pudesse ser inferior, numa culpa que também é repartida com os pneus Nexen 205/55 R16. A dinâmica é equilibrada, mas a travagem alonga-se mais um pouco do que a do adversário: 38,8 metros a partir de 100 km/h contra 37,8 m do DS 4.

O conjunto carroçaria/chassis do A3 adorna pouco, mesmo que, neste caso, não se exija muito esforço em curva, inclusive se se selecionar o modo Dynamic mais desportivo, o qual nem sequer altera de forma significativa a resposta da mecânica. A acústica do bloco Diesel foi atenuada face ao antecessor e os consumos são baixos, sendo fácil atingir valores próximos dos 5 litros/100 km (às vezes menos...), embora o intervalo mais usual se coloque entre 5,3 e 6,2 l/100 km. Já o registo médio do DS4 inicia-se nos 5,8 litros/100 km, sendo mais difícil baixar esse valor, inclusive no modo ECO, detetando-se aí maior arrastamento nas passagens da caixa EAT8 automática (8 velocidades), algo que é menos notado no Normal e Desportivo, este último sem alterar muito a resposta do motor Diesel, da direção (um bocadinho mais firme) e da caixa.

Apesar disso, a matriz da condução assenta numa grande suavidade, a par de excelente equilíbrio, inclusive a curvar. É imediata a perceção do bom isolamento do habitáculo (vidros acústicos) e do conforto da suspensão, sem prejuízo da firmeza dos Michelin e-Primacy (205/55 R19), a qual é anulada nos asfaltos normais. Por fim, em ambos, resta elogiar as tão resistentes autonomias: de 780 a 855 km, em média. Pois!

Pode um Audi perder discussão com um DS? Porque não? O prestígio da marca alemã não é beliscado face ao DS 4 1.5 BlueHDI de 130 cv com transmissão automática, apesar de a derrota se ficar a dever, por um lado, à qualidade geral superior do modelo francês, a que se acrescenta a modernidade dos detalhes e equipamentos da versão Performance Line. A condução, o conforto e o desempenho do BlueHDi/EAT8 são outros trunfos do DS 4, num escrutínio que deixa o A3 algo distante, mas nem por isso menos bem... visto.

Ler Mais

Ficha Técnica

Características

DS 4

1.5 BlueHDI 130 Performance Line

AUDI A3

Sportback 30 TDI

Motor
Arquitetura 4 cilindros em linha 4 cilindros em linha
Capacidade 1499 cc 1968 cc
Alimentação Inj. direta, CR, Turbo, Intercooler Inj. direta CR, Turbo, Intercooler
Distribuição 2 a.c.c./16V 2 a.c.c./16V
Potência 130 cv/3750 rpm 116 cv/2750-4250 rpm
Binário 300 Nm/1750 rpm 300 Nm/1600-2500 rpm
Transmissão
Tração Dianteira Dianteira
Caixa de velocidades Automática de 8 vel. Manual de 6 vel.
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson Ind. McPherson
Suspensão T Eixo rígido Eixo rígido
Travões F/T Discos ventilados/Discos Discos ventilados/Discos
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/10,8 m Elétrica/11,1 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,400/1,866/1,490 m 4,343/1,816/1,449 m
Distância entre eixos 2,675 m 2,636 m
Mala 430-1240 litros 380-1200 litros
Depósito de combustível 53 litros 45 litros
Pneus F 7jx19-205/55 R19 7jx16-205/55 R16
Pneus T 7jx19-205/55 R19 7jx16-205/55 R16
Peso 1489 kg 1425 kg
Relação peso/potência 11,45 kg/cv 12,28 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 208 km/h 206 km/h
Acel. 0-100 km/h 10,9 s 10,1 s
Consumo médio 4,8 l/100 km 4,4 l/100 km
Emissões de CO2 127 g/km 115 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 3 anos sem limite de km 3 anos sem limite de km
Pintura/Corrosão 3/12 anos 3/12 anos
Intervalos entre revisões 30000 km 30000 km
Imposto de circulação (IUC) 147,21 € 224,93 €

Medições

DS

Acelerações
0-50 km/h 3,6 s
0-100 / 130 km/h 11,2/19,0 s
0-400 / 0-1000 m 17,8/32,6 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 4,7 s
60-100 km/h (D) 6,3 s
80-120 km/h (D) 8,6 s
Travagem
100-0/50-0km/h 37,8/9,2 m
Consumos
Consumo médio 6,2 l/100km
Autonomia 855 km

Medições

AUDI

Acelerações
0-50 km/h 3,5 s
0-100 / 130 km/h 9,9/16,3 s
0-400 / 0-1000 m 17,1/31,3 s
Recuperações
40-80 km/h 3.ª 5,2/8,9 s
60-100 km/h 3.ª/4.ª/5.ª 7,5/9,9 s
80-120 km/h 4.ª/5.ª/6.ª 9,9/12,6 s
Travagem
100-0/50-0km/h 38,8/ 9,7 m
Consumos
Consumo médio 5,8 l/100km
Autonomia 776 km