Toyota bZ4X Premium vs. Skoda Enyaq iV 80

O formato e a tecnologia da moda

CONFRONTO

Por Vítor Mendes da Silva 21:05

Fotos: Gonçalo Martins

A Toyota estreia-se na oferta de elétricos com o primeiro elemento da família bZ. SUV médio, com as dimensões do RAV4, o bZ4x chega com motor de 204 cv e autonomia até 511 km. A primeira prova de fogo é frente ao Skoda Enyaq iV80.

Pioneira na propulsão apenas parcialmente a pilhas, a Toyota arrancou com a comercialização do bZ4X, SUV que inaugura submarca exclusiva para os carros elétricos movidos a bateria. O modelo estreia a plataforma e-TNGA desenvolvida em parceria com a Subaru (uma marca em que a Toyota conta com participação de 20%), arquitetura que pode adaptar-se, facilmente, a formatos muito diferentes nas dimensões. O primeiro bZ (o nome 4X identifica o segmento em está inserido e o tipo carroçaria), tem mais ou menos o tamanho do RAV4, sendo mais baixo (85 cm), mas mais comprido (90 mm) e também maior (160 mm) na distância entre eixos, o que explica as cotas interiores avantajadas, com muito espaço para ocupantes em todas as direções, e sem comprometer a boa capacidade da mala. Nas medidas desafogadas está em linha com o Skoda Enyaq iV, que só ultrapassa o japonês na largura e na volumetria do compartimento da bagageira (585 litros contra 452), que acrescenta a simplicidade de interação com a chapeleira que se recolhe por toque e desliza sem falhas por calhas laterais existindo ainda sob o piso espaço para guardar o cabo de carregamento – de série, o Enyaq inclui cabo para wallbox/postos públicos, ficando o doméstico entre os opcionais: sendo o carregamento a 2,3 kW demasiado demorado para um elétrico com bateria com capacidade útil de 77 kWh, a marca prefere deixar esse investimento à consideração do cliente. O carregador embarcado é de 50 kW; o de 100 kW é extra, por 540 €. A apresentação é minimalista e a ergonomia está em bom plano. Atrás do volante, apenas um pequeno monitor com os dados essenciais e de consulta rápida para a condução (em opção, head up display de grandes dimensões com função de realidade aumentada), com as restantes funções de bordo centralizadas no enorme monitor central tátil de 13’’, bem colocado no topo da consola central, com o formato do tablier a criar uma zona de apoio à mão/pulso para seleção mais fácil dos comandos. Mais abaixo, alguns comandos de acesso direto aos menus, mas é demorado o acesso a algumas funcionalidades básicas, como a climatização…

O elétrico da Toyota não fica atrás. A versão Premium, intermédia na gama, acrescenta à dotação já rica do Exclusive (Lounge é a mais exclusiva), elementos como o ecrã multimédia com 12,3” (em vez de 8”), bancos em pele e tecido aquecidos e com ajustes elétricos para o condutor e sensores de estacionamento à frente e atrás. As jantes em liga leve de 18 polegadas são de série desde o nível mais baixo (com 20” no Lounge), com desenho que combina com os vidros exteriores escurecidos e um pequeno spoiler traseiro, para uma imagem mais cativante. Embora o interior esteja bem servido de locais de arrumo, não há porta-luvas à frente ao passageiro dianteiro. Esse compartimento foi substituído por espaço adicional fechado na consola central, que também serve para acomodar o telemóvel enquanto carrega na plataforma indutiva. Aplauso ainda para a construção de qualidade.

Espaço e conforto são prioridades

O Enyaq é automóvel com desenho conservador e a mesma fórmula de racionalidade que conhecemos dos modelos com motores térmicos da marca. As formas insufladas da carroçaria, sem surpresa, ajudam na facilidade dos acessos ao habitáculo, com ótimo do espaço interior face aos pouco mais de 4,6 metros de comprimento total, sendo que nos lugares posteriores a facilidade de movimentos e a melhor acomodação é conseguida mediante a ausência de túnel central. Nesta versão 80, motor de 204 cv (150 kW) e 310 Nm, energia q.b. para cumprir a preceito as solicitações do utilizador, incluindo com afazeres de índole familiar.

Também aqui, credenciais quase a papel químico do elétrico da Toyota, disponível para já só com versões com duas rodas motrizes e motor elétrico (204 cv e 265 Nm) instalado à frente. A bateria, nesta versão do bZ4X, tem capacidade de 71,4 kWh que, segundo a Toyota, garante 511 km de autonomia ao SUV, suportando até 150 kW em carga rápida, com o que acrescenta 300 km ao raio de ação do veículo em menos de 30 minutos.

A dinâmica do bZ4x também foi trabalhada para uma maior adaptação aos gostos europeus, difíceis. A serenidade, o conforto e a facilidade de condução, com reduzido diâmetro de viragem, são trunfos no quotidiano. O chassis tem boa rigidez e, no que diz respeito ao amortecimento, destaque para o bom trabalho dos amortecedores que restringem o rolamento inicial de carroçaria, o que resulta num comportamento linear, progressivo, sem depreciar o conforto com que a Toyota sempre se identificou. Menos interessante pareceu-nos a direção que sofre de alguma transparência na zona do ponto neutro. Ainda assim, é conjunto que disfarça muito bem a relação volume/peso…

Nota positiva ainda para os consumos: média de 17,5 kWh/100 km, que pode ser inferiores numa utilização cosmopolita e sobe em autoestrada para valores a rondar os 21 kWh. O consumo energético do Enyaq (17 kWh) é ligeiramente mais baixo do que o do bZ4X, o que perfaz autonomias igualmente distintas, mais alta a do Skoda (470 km) do que a do Toyota (400 km).

Os dois automóveis são taxados como Classe 1 nas portagens das estradas nacionais, mesmo sem contrato com a Via Verde.

Ler Mais

Ficha Técnica

Características

TOYOTA bZ4X

Premium

SKODA ENYAQ

iV80

Motor
Tipo Síncrono de íman permanente Tipo Síncrono de íman permanente
Potência 204 cv (150 kW) 204 cv (150 kW)
Binário 265 Nm 310 Nm
Bateria Iões de lítio Iões de lítio
Capacidade útil 71,4 kWh 77 kWh
Tempo de carga (0-80%) 30 min (150 kW) 38 minutos a 205 kW
Transmissão
Tração Dianteira Traseira
Caixa de velocidades Automática de 1 vel. Automática de 1 vel.
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson Ind. McPherson
Suspensão T Ind. multibraços Ind. multibraços
Travões F/T Discos ventilados Discos ventilados/Tambores
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/11,4 m Elétrica/9,3 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,690/1,860/1,650 m 4,649/1,879/1,616 m
Distância entre eixos 2,85 m 2,765 m
Mala 452 litros 585-1710 litros
Depósito de combustível - -
Pneus F 235/60 R18 235/60 R18
Pneus T 235/60 R18 235/60 R18
Peso 1970 kg 2090 kg
Relação peso/potência 9,6 kg/cv 10,2 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 160 km/h 160 km/h
Acel. 0-100 km/h 7,5 s 8,5 s
Consumo médio 14,7 kWh/100 km 15,7 kWh/100 km
Autonomia 513 544
Garantias/Manutenção
Mecânica 7 anos/160.000 km 3 anos sem limite de km
Pintura/Corrosão - -
Bateria 10 8
Imposto de circulação (IUC) 0 € 0 €

Medições

TOYOTA

Acelerações
0-50 km/h 3,3 s
0-100 / 130 km/h 7,7/13,8 s
0-400 / 0-1000 m 14,8/28,6 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 3,1 s
60-100 km/h (D) 4,0 s
80-120 km/h (D) 5,2 s
Travagem
100-0/50-0km/h 39,0/9,8 m
Consumos
Consumo médio 17,5 kWh/100km
Autonomia 400 km

Medições

SKODA

Acelerações
0-50 km/h 3,4 s
0-100 / 130 km/h 8,6/14,7 s
0-400 / 0-1000 m 16,4/30,5 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 4,1 s
60-100 km/h (D) 4,6 s
80-120 km/h (D) 5,4 s
Travagem
100-0/50-0km/h 36,1/9,8 m
Consumos
Consumo médio 17 kWh/100km
Autonomia 470 km