Ford Kuga 1.5 EcoBoost 150 cv

Caçar com 3 cilindros

TESTE

Por Ricardo Jorge Costa 01-12-2020 10:00

Fotos: Gonçalo Martins

Para a terceira geração do Kuga, a Ford tem a ambição de que o SUV do segmento médio inferior possa atingir, em Portugal, o sucesso que as antecessoras têm angariado no mercado europeu. Afinal, o Kuga é reconhecidamente um bom produto na sua classe, faltava-lhe motorizações adequadas ao cliente português, que permitissem um preço competitivo. Têm-nas, enfim, agora, e desde logo numa das unidades da consagrada família de motores a gasolina EcoBoost, de três cilindros. É o motor de 1,5 litros com 150 cv e 240 Nm, associado a caixa manual de seis velocidades e de tração dianteira, que possibilita à Ford propor o SUV pelo preço base de 32.777 euros. Na gama só há uma versão mais acessível, a deste mesmo motor na variante de 120 cv, mas os pouco mais de 1100 euros que custa a menos do que o de 150 cv, não parecem compensar as mais-valias do primeiro. Precisamente, o Kuga aqui analisamos neste teste, no nível de acabamento Titanium, que fazendo a entrada no catálogo do modelo, atrás dos mais desportivos e luxuosos S-Line e S-Line X, nem por isso deixa de ser ricamente dotado.

Poderá pensar-se que a simplicidade da arquitetura tricilíndrica do EcoBoost torna-o falho de rendimento para um automóvel com características de familiar e o peso, de mais de 1500 kg, do Kuga. Mas não. Mais os 150 cv, do que o binário máximo disponível às 1600 rpm, conferem ao veículo boas performances em todos os ambientes rodoviários. Não se devem pedir-lhe acelerações lestas, porque 240 Nm não é energia abundante, mas sim a adequação do regime de funcionamento ótimo do motor às necessidades do momento, recorrendo-se à transmissão manual, corretamente escalonada. Ao invés, para respostas mais veementes do 1.5 EcoBoost é indispensável levá-lo ao redor das 6000 rpm, o que implica contrapartidas ao nível da sonoridade e, claro, do consumo. E por este último, perde-se argumento igualmente importante de cativação deste novo Kuga, porque, sem excessos, o SUV consegue ficar abaixo da fasquia dos 7 litros/100 km médios.

No resto, o Kuga é um automóvel novo, baseado numa nova plataforma (C2), com maior rigidez torsional e o peso otimizado pelo recurso extensivo ao alumínio nos seus componentes, permitindo que a atual geração do modelo seja até 80 kg mais leve do que a antecessora.

A distância entre eixos é 20 mm superior à do predecessor e a carroçaria 8,9 mais comprida e 4,4 cm mais larga. O aumento dessas medidas reflete-se nas cotas habitáveis para carga interiores, traduzindo-se em mais espaço para as pernas e ao nível dos ombros e cabeça dos ocupantes dianteiros e traseiros, apesar de o novo modelo ser 6 mm mais baixo do que o que substitui. O banco posterior pode ser movido longitudinalmente através de calhas de 10,3 cm, possibilitando gerir o espaço para as pernas e a volumetria da bagageira, nesta ampliando a capacidade original de 645 litros. O rebatimento destes bancos faz-se mediante acionamento elétrico (botão), facilitando a operação, e assim criando uma superfície de carga totalmente plana. Nota ainda para os passageiros que viajam atrás, nos lugares laterais, que podem dispor de sistema de aquecimento individual.

O SUV dispõe da tecnologia FordPass Connect, tornando-o hotspot wi-fi móvel com capacidade para dez smartphones que se conectam via Bluetooth ao sistema de comunicação e entretenimento SYNC 3 da Ford, o mais moderno do fabricante, em que a visualização e o controlo fazem-se num ecrã digital tátil de 8 polegadas (12,3” em opção) ao centro do tablier.

O Kuga dispõe de um conjunto alargado de tecnologias de assistência ao condutor, tais como sistema de manutenção na faixa e de deteção de ângulo morto; assistente de pré-Colisão com travagem ativa com função de cruzamento e deteção de ciclistas; cruise control adaptativo com stop&go, reconhecimento de sinais de velocidade, alerta de tráfego cruzado e sistema de estacionamento automático. O Kuga é também o primeiro SUV da Ford na Europa a dispor de Head-up display.

Até dia 31 de dezembro de 2020, a Ford tem oferece desconto direto de 3720 euros no preço do Kuga e 850 euros na retoma de viatura usada.

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

FORD KUGA

1.5 EcoBoost

Motor
Arquitetura 3 cilindros em linha
Capacidade 1496 cc
Alimentação Inj. direta, turbo, intercooler
Distribuição 2 a.c.c./12v
Potência 150 cv/6000 rpm
Binário 240 Nm/1600 rpm
Transmissão
Tração Dianteira
Caixa de velocidades Manual de 6 velocidades
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Eixo Multibraços
Travões F/T Discos ventilados/Discos
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/11,38 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,614/1,883/1,661 m
Distância entre eixos 2,71m
Mala 475-1534 litros
Depósito de combustível 54 litros
Pneus F 225/65 R17
Pneus T 225/65 R17
Peso 1564 kg
Relação peso/potência 10,42 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 195 km/h
Acel. 0-100 km/h 9,7 s
Consumo médio 6,6 l/100 km
Emissões de CO2 152 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica -
Pintura/Corrosão -
Intervalos entre revisões -
Imposto de circulação (IUC) -

Medições

FORD

Acelerações
0-50 km/h 3,4 s
0-100 / 130 km/h 10 s
0-400 / 0-1000 m 17 s
Recuperações
40-80 km/h 3.ª 5/8 s
60-100 km/h 3.ª/4.ª/5.ª 6,7/9,4 s
80-120 km/h 4.ª/5.ª/6.ª 9,2/12,4 s
Travagem
100-0/50-0km/h 37,7/9,7 m
Consumos
Consumo médio 7 l/100km
Autonomia 711 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE