Smart EQ Fortwo edition bluedawn

‘Smart casual’

TESTE

Por Paulo Sérgio Cardoso 19-06-2021 07:00

Fotos: Gonçalo Martins

Mais uma edição especial deste peculiar citadino 100% elétrico de apenas dois lugares para alimentar os egos cosmopolitas. Mesclando pormenores clássicos e desportivos, o edition bluedawn representa investimento extra a rondar os 5500 €.

Esta terceira geração do smart fortwo nasceu em 2014 e a partir de 2019 a sua existência passou a ser 100% elétrica, com a abolição dos motores térmicos na marca. Em 2020 sofreu atualizações estéticas e de conteúdos e a sua carreira continua a ser animada por edições especiais que rejubilam o carácter exclusivo e de forte personalização, num modelo que, em termos de formato e dimensões, continua sem conhecer rivais diretos no mercado.

A série especial edition bluedawn reveste-se de vários elementos que apuram o caráter distinto e a imagem do pequeno smart, caso da pintura exclusiva velvet blue com acabamento mate, aplicada não apenas nos painéis da carroçaria (bodypanels), mas também na zona da célula de segurança tridion, que habitualmente surge em cor cinza. Esta presença mais monocromática (e mate) deixa espaço para realçar vários pormenores de acabamento em preto de alto brilho, caso das jantes de Brabus de 16’’ (com pneus 185/50 à frente e 205/45 atrás), badges ‘smart’, grelha, difusor traseiro ou ainda as capas dos retrovisores.

Do departamento desportivo da smart, o edition bluedaw herda ainda a assinatura Brabus no spoiler frontal, nas entradas de ar e saias laterais que ajudam a promover a unicidade da imagem exterior. A traseira é marcada pelo pequeno spoiler no topo da carroçaria (em velvet blue mate, pois claro!), com o edition bluedaw a fazer-se ainda acompanhar por inédito revestimento do tejadilho em tecido preto, quase fazendo crer a presença de um teto de abrir em lona nesta carroçaria coupé! De modo a manter a toada de uma elegante discrição, mas com assinatura de autor, a sigla edition bluedawn surge bordada nos tapetes e o ‘B’ de Brabus a decorar o punho da caixa de velocidades. Bancos aquecidos e revestidos a pele estão incluídos no preço.

Não obstante o cunho de exclusividade, demos por falta de alguns elementos/equipamentos mais básicos e que obrigam a investimentos extra para deles usufruir, caso dos sensores de chuva, luz e parqueamento ou de sistema de iluminação exterior LED (apenas as diurnas o são). Nada que perturbe a facilidade de condução, pontuada pela direção leve que conjugada com as contidas dimensões da carroçaria permitem inversões de marcha (diâmetro de viragem) em apenas 7,3 m.

A génese citadina do smart fortwo conjuga-se na perfeição com a propulsão elétrica de 82 cv, potência suficiente para despachadas acelerações entre o trânsito urbano e pulmão suficiente para abordar as vias periféricas mais rápidas, até aos 130 km/h. Os 17,6 kWh de capacidade da bateria podem chegar para quase 150 km se a utilização for meramente citadina (consumo mínimo a rondar os 10 kWh), mas o melhor é contar com autonomias médias a rondar os 130 km – nos dias que durou este teste, cruzando uso citadino com alguns circuitos por vias rápidas, mantendo sempre o respeito pelos limites de velocidade, o smart fortwo registou média de 13 kWh/100 km. Se selecionado o modo de condução ‘Eco’ a velocidade máxima fica limitada aos 90 km/h e o sistema regenerativo torna-se mais ativo assim que se alivia o pedal de acelerador. O smart utiliza sensor frontal que além das funções de segurança ativa (caso de aviso de aproximação e travagem automática) afere as distâncias para os veículos da frente e também assim adapta o efeito travão-motor para melhor eficácia regenerativa – função que pode ser desligada caso o condutor não queira perder fluidez na condução.

A possibilidade de se contar com opcional carregador de bordo para 22 kW (995 €) permite despachar o carregamento da pequena bateria em pouco mais de 40 minutos num posto rápido. Numa tomada doméstica, conte-se com cerca de 8 horas, o que permite atestar todas as noites, aproveitando-se os baixos custos de um tarifário bi-horário.

Com a recente atualização da gama, o fortwo ganhou novo sistema multimédia com monitor tátil de 8’’, com projeção/espelho de smartphone compatível com AndroidAuto e Apple CarPlay, mas cujo grafismo nada tem de atual e o sistema utiliza apenas a navegação (ou Waze) do telemóvel. Mais difícil será conseguir conectar o cabo à tomada USB, colocada na zona inferior da consola central numa posição muito recuada e quase inacessível a mãos grandes!

Preços:

Smart EQ Fortwo edition bluedawn - 28.685 €

Preço da unidade testada – 30.980 €

Extras da unidade testada:

Carregador de bordo 22 kW – 995 €

Pack Cabos de Carregamento – 310 €

Pack Advanced – 990 €

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

SMART EQ

Fortwo edition bluedawn

Motor
Tipo Motor elétrico, síncrono
Potência 82 cv (60 kW)
Binário 160 Nm
Bateria Iões de lítio
Capacidade útil 17,6 kWh
Tempo de carga (0-80%) 40m (22 kW)
Transmissão
Tração Traseira
Caixa de velocidades Automática de 1 velocidade
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Eixo de Dion
Travões F/T Discos/Tambores
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/7.3 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 2,695/1,663/1,555 m
Distância entre eixos 1,873m
Mala 260 litros
Depósito de combustível -
Pneus F 5jx15 - 165/55 R15
Pneus T 5,5jx15 - 185/60 R15
Peso 1095 kg
Relação peso/potência 13,4 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 130 km/h
Acel. 0-100 km/h 11,6 s
Consumo médio 15,7 kWh/100 km
Autonomia 135 km
Garantias/Manutenção
Mecânica 2 anos sem limite de km
Pintura/Corrosão -
Bateria 8 anos ou 100.000 km
Imposto de circulação (IUC) 0 €

Medições

SMART

Acelerações
0-50 km/h 3,7 s
0-100 / 130 km/h 12,2 s
0-400 / 0-1000 m 18,7 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 4,4 s
60-100 km/h (D) 7 s
80-120 km/h (D) 10,1 s
Travagem
100-0/50-0km/h 37,2/9,6 m
Consumos
Consumo médio 14,5 kWh/100km
Autonomia 130 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE