«Sinto-me um privilegiado pelo apoio que tenho»

Moto GP

Por Edite Dias 14-07-2021 11:52

Miguel Oliveira ganhou um novo patrocinador a menos de um mês de voltar à competição. António Pires de Lima vestiu a camisola com o número 88 que Miguel Oliveira lhe ofereceu num gesto que simboliza o acordo entre o sponsor e o piloto da KTM.

«Quanto melhor atleta eu for e melhor imagem passar para os meus fãs, isso impulsionará no apoio e isso traduz-se na vertente desportiva e posso retribuir. Sinto-me um privilegiado por ser apoiado e reconhecido pelos portugueses e pelas melhores marcas em Portugal. É sinónimo que estou a fazer um bom trabalho.»

Quanto à velha questão da carta de moto que ainda não tem, Miguel Oliveira, brincou com o assunto: «Eu tenho carta e posso conduzir em autoestradas! Até 125cc. A outra questão vou ultrapassar em breve», atirou com um sorriso.

Este apoio é assumidamente importante para um piloto que cresceu a pulso e onde nunca foram abundantes os patrocínios. Mas, mais vale tarde do que nunca. «O reconhecimento é importante que chegue, mesmo que tarde. Ainda tenho muitos anos de carreira pela frente, tenho feito uma evolução a pulso, cheguei ao MotoGP em 2019 e sinto que tenho feito uma evolução a pulso, mas tem sido sempre assim, na realidade. Também o reconhecimento não seria diferente. Este e os outros apoios que tenho agora são fruto desse esforço meu, do meu pai. O espírito não é termos de ser melhores do que alguém, é fazermos um bom trabalho. Somos uma equipa forte e podemos conquistar coisas muito bonitas», sustentou otimista.

Falta menos de um mês (8 de agosto) para o piloto da KTM regressar à luta no Mundial de MotoGP, na Estíria, onde, no ano passado, venceu pela primeira vez uma corrida na categoria rainha. «É sempre recomeçarmos rodeados de momentos positivos. Sei que tenho capacidades para voltar à Estíria um ano depois e vencer e é nisso que estou a pensar.»

Nesta pausa do campeonato, Miguel Oliveira viu também confirmado o regresso do Mundial a Portimão, com nova corrida agendada para novembro. E, quem sabe, desta vez com público. «Recebi a notícia com bastante agrado, é um prazer enorme correr em Portugal, possivelmente com publico e brindá-lo com uma boa prestação.»

Até lá, a Áustria é o destino que se segue.

Embaixador e inovador

António Pires de Lima nem hesitou quando Miguel lhe ofereceu a t-shirt. Tirou o casaco e vestiu-a. «Sou fã do motociclismo, sobretudo, desde que Portugal, através do Miguel Oliveira, tem um embaixador tão extraordinário nestas provas de motociclismo.» E pode ser campeão do Mundo? «Espero que sim, acho que tem condições. Aliás acumulou vários pódios, portanto, talento não lhe falta se tiver os meios e o apoio vai com certeza poder lá chegar ou pelo menos lutar por isso, que é o mais importante». E quanto pode a empresa investir num campeão do Mundo? «Não vamos quantificar isso à frente de toda a gente. Esta relação que começou há pouco tempo, cerca de dois meses, é uma relação com enorme potencial. Rapidamente chegámos a acordo e espero que seja de longo prazo e para ficar. Com mútuas vantagens para o Miguel e para nós.»

Bem-disposto, o presidente da comissão executiva da Brisa ofereceu, em troca, um capacete com o símbolo da via verde, mas terá de esperar para ver Miguel Oliveira exibi-lo nos circuitos mundiais, uma vez que o piloto de MotoGP não poderá acrescentar o mesmo ao seu equipamento com a época a meio. Nada disso, porém, impediu a empresa portuguesa de decidir juntar-se ao português, durante o próximo ano e meio, sem que o valor do acordo tenha sido revelado. «Vamos usar esta associação para comunicar e dar visibilidade à Via Verde, celebrando os 30 anos da empresa, uma marca inovadora e à frente do seu tempo. O Miguel vai ser o nosso embaixador nesta celebração. A transição para uma mobilidade mais sustentável, é fundamental para todos e para as novas gerações. O Miguel é um herói para os mais novos e queremos ajudar os portugueses nesta transição para a mobilidade elétrica. Queremos associar a imagem inovadora do Miguel a este serviço inovador.»

Satisfeito também, Eduardo Ramos, que tem a responsabilidade da Via verde, assumiu que o acordo foi assinado agora para celebrar os 30 anos da empresa. «O Miguel simboliza a ambição, como nós temos para com os nossos clientes, permitindo-lhes ganhar tempo ao tempo.»

Ora, aí está uma coisa que interessa ao piloto para os próximos desafios!

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 2

HakunaMatata
15-07-2021 12:32

Baosa99 : O Miguel é Benfiquista

Marker-brg
14-07-2021 14:31

Baosa99, por acaso sempre ouvi dizer que o Miguel era benfiquista, mas independentemente do clube dele, terá sempre o meu apoio

Moto GP