45% usam mal a cadeirinha no carro. E você, passa no teste?

O Código da Estrada prevê sanção com coima de 120 a 600 euros por cada criança transportada indevidamente. No arranque do ano letivo, aproveite para rever a matéria dada: sabe usar corretamente a cadeirinha?

Atualidade

Por AF 14-09-2021 15:29

A Associação para a Promoção da Segurança Infantil (APSI) divulgou estudo onde se conclui que 90% das crianças viajam em cadeirinhas nos automóveis, mas apenas metade é transportada corretamente. Número preocupante, tal como o facto de 10% das crianças que foram observadas durante a investigação viajarem sem qualquer sistema de retenção adequado."Em 45% dos casos não é o correto ou está mal instalado, o que reduz drasticamente a sua eficácia em caso de acidente”, pode ler-se no comunicado oficial APSI.

Nos dias 18 e 25 de setembro, a associação vai realizar ações de sensibilização no Matosinhos Retail Park e no Alfa Retail Park, em Lisboa, com o objetivo principal de “dar às famílias a possibilidade de se certificarem que viajam e transportam os mais novos (e não só!) em segurança”.

Cadeirinhas com conta, peso e medida

O transporte de crianças em automóveis está regulamentado pelo artigo 55.º do Código da Estrada. Segundo este, deve o condutor saber que as crianças com menos de 12 anos de idade transportadas em automóveis equipados com cintos de segurança, desde que tenham altura inferior a 1,35 metros, devem ser seguras por sistema de retenção homologado e adaptado ao seu tamanho e peso.

O transporte destas crianças deve ser no banco da retaguarda, salvo se o menor tiver: idade inferior a três anos e o transporte se fizer utilizando sistema de retenção virado para a retaguarda não podendo, neste caso estar ativado o airbag no lugar do passageiro; idade igual ou superior a três anos e o automóvel não dispuser de cintos de segurança no banco da retaguarda ou não inclua este banco.

Nos automóveis que não estejam equipados com cintos de segurança é proibido o transporte de crianças de idade inferior a 3 anos.

Quem infringir estas regras incorre numa contraordenação grave ou muito grave, sancionado com coima de 120 a 600 euros por cada criança transportada indevidamente. A sanção acessória aplicável consiste na inibição de conduzir: tem a duração mínima de um mês e máxima de um ano, ou mínima de dois meses e máxima de dois anos, consoante seja aplicável às contraordenações graves ou muito graves, respetivamente, e refere-se aos veículos a motor.

Peso excessivo

Há que saber como transportar corretamente crianças com peso excessivo, em relação à idade. Ou seja, que tenham menos de 12 anos de idade e menos de 150 cm de altura mas que excedam 36 kg – o peso limite para que estão homologados os sistemas de retenção (SRC).

Podem aquelas utilizar um SRC da classe não integral do grupo III. Nestas situações em que não é possível sentar, no mencionado sistema por este ser pequeno ou estreito, as crianças com mais de 36 kg deverão utilizar apenas o cinto de segurança de dois ou três pontos, se a criança tiver altura de pelo menos 135 cm ou inferior, respetivamente.

Falta de espaço

Nos automóveis em que não seja possível, por falta de espaço, instalar três SRC nos bancos da retaguarda, havendo necessidade de transportar três crianças com menos de 12 anos e 135 cm pode uma delas – a de maior estatura – viajar sem SRC, utilizando apenas o cinto de segurança, de dois ou três pontos.

 

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Atualidade