Seat Arona 1.0 TGI

A todo o gás

TESTE

Por Paulo Sérgio Cardoso 18:40

Fotos: Gonçalo Martins

A propulsão a gás natural é mais uma das possíveis soluções paralelas no contributo para inferiores custos de utilização e também para a redução de emissões poluentes, mesmo que a origem (do gás) seja igualmente fóssil, como o petróleo.

A Seat (e o Grupo VW) é dos poucos fabricantes a apresentar soluções do género, que, infelizmente, não terão expressão comercial devido à ausência de uma rede de abastecimento sustentável: em Portugal, atualmente, existem apenas 12 postos públicos, quatro nas zonas metropolitanas e arredores de Lisboa e Porto – é solução que tem sido utilizada por algumas empresas de transporte público, em autocarros e outros veículos pesados. O custo de cada quilo de gás natural é 1,06 €.

Centrando atenções no Arona da Seat, apresenta-se nesta versão 1.0 TGI com o motor 3 cilindros turbo a gasolina de 1 litro de capacidade, com não mais de 90 cv. Os depósitos de gás natural (três) estão alojadas sob a bagageira, por isso eliminando o fundo falso que existe no Arona, limitando a capacidade de carga aos 272 litros, não obstante a possibilidade de rebatimento dos bancos traseiros. Perde-se a opção de poder contar com roda suplente.

Além dos 13,8 kg de gás natural, o Arona 1.0 TGI conta também com um pequeno depósito de gasolina, de não mais que 9 litros. Ao contrário do que se poderia pensar (e como acontece, por exemplo, com soluções a GPL), o Arona 1.0 TGI arranca e roda sempre a gás natural, não sendo ao condutor possível escolher a fonte de alimentação. Apenas utiliza a gasolina esgotando-se os depósitos de gás natural, alguns quilómetros após o atesto de gás e em situações de baixa temperatura exterior. A transição entre as duas fontes é impercetível.

Quando a gás, o motor 1.0 turbo mostra-se um pouco mais áspero e ruidoso do que quando a gasolina. Para tentar colmatar o facto desta versão não ir além dos 90 cv/160 Nm, a Seat utiliza aqui caixa manual de 6 velocidades (recorde-se que utiliza unidade de 5 nas versões de 95 cv do motor 1.0 TSI) de relações ajustadas ao melhor aproveitamento da pequena mecânica.

Sendo, obviamente, motor limitado ao nível das performances, esta versão a gás natural ajusta-se à vida citadina, onde o desempenho é meritório. Além disso, os consumos médios verificados, na ordem dos 5 kg de gás natural por cada 100 km, permitem custos de utilização a rondar os 6 €/100 km. Pena é que a reduzida capacidade dos depósitos não permita autonomia a gás superior a cerca de 270 km, depois dos quais o Arona se vê obrigado a recorrer aos 9 litros de gasolina – nunca ficará parado caso não possa abastecer-se com gás. A ainda reduzida rede de abastecimento não permite que esta solução ganhe um pouco mais de asas...

O condutor pode acompanhar o estado dos depósitos no painel de instrumentos, bem como as autonomias e os consumos médios individuais e conjuntos. O Arona 1.0 TGI pode ainda ser comercializado em todos os níveis de equipamento, com preços a partir dos 18.070 € (versão Reference).

As performances deste 1.0 TGI a gás natural são inferiores às do 1.0 TSI de 95 cv (mesmo que a Seat tenha recorrido a caixa de 6 velocidades para amenizar a situação), mas os custos de utilização são verdadeiramente reduzidos, até mesmo se colocados lado a lado com soluções elétricas – que à partida são bem mais caras que as soluções a gás natural. Só não é solução maior pela ausência de postos de abastecimento.

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

SEAT ARONA

1.0 TGI FR

Motor
Arquitetura 3 cilindros em linha
Capacidade 999 cc
Alimentação Inj. direta, turbo, intercooler
Distribuição 2 a.c.c./12v
Potência 90 cv/4500-5800 rpm
Binário 160 Nm/1900-3500 rpm
Transmissão
Tração Dianteira
Caixa de velocidades Manual de 6 velocidades
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Eixo de torção
Travões F/T Discos ventilados/Tambores
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/10,6 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,138/1,780/1,552 m
Distância entre eixos 2,566m
Mala 282-1162 litros
Depósito de combustível -
Pneus F 205/55 R17
Pneus T 205/55 R17
Peso 1308 kg
Relação peso/potência 14,5 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 172 km/h
Acel. 0-100 km/h 13,2 s
Consumo médio 3,5 l/100 km
Emissões de CO2 107 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 4 anos ou 80.000 km
Pintura/Corrosão 3/12 anos
Intervalos entre revisões 30000 km
Imposto de circulação (IUC) 102,81 €

Medições

SEAT

Acelerações
0-50 km/h 3,9 s
0-100 / 130 km/h 12,5 s
0-400 / 0-1000 m 18,5 s
Recuperações
40-80 km/h 3.ª 6,5 s
60-100 km/h 3.ª/4.ª/5.ª 7,2 / 8,9 / 12,5 s
80-120 km/h 4.ª/5.ª/6.ª 10,3 / 13 / 17,3 s
Travagem
100-0/50-0km/h 37,2 / 9,1 m
Consumos
Consumo médio 5,1 l/100km
Autonomia 400 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE