Nissan Leaf 62 kWh e+

Mais rápido, mais longe

TESTE

Por Ricardo Jorge Costa 15-02-2020 17:30

Fotos: Gonçalo Martins

No Leaf 62 khW e+, versão otimizada, mais potente e com maior autonomia, do modelo elétrico mais vendido na Europa, há 67 cv de potência adicionais, atingindo 217 cv (160 kW), já relativamente elevada para uma berlina de segmento C e ainda 115 km de autonomia extra com uma única carga, chegando a homologados de 385 km, segundo mais confiável ciclo WLTP. A versão de base do modelo, de 150 cv e 40 kWh é menos expedita nas prestações e fica-se por 270 km.

Comecemos pelo primeiro melhoramento, a subida da potência para performances igualmente superiores. Na prática, as diferenças são substanciais, ainda que os registos das performances possam ser relativizados perante o suposto mais importante fator económico e ambientalista inerente ao automóvel elétrico. De qualquer modo, as prestações do e+ são bem mais velozes, conferindo ao veículo um desempenho melhor e por consequência uma condução mais agradável. Associado à mesma caixa automática de velocidade única, o motor mais potente impele mais energicamente o Leaf, beneficiando as recuperações de ritmo (velocidade) determinantes, por exemplo, para manobras de ultrapassagem seguras.

Todavia, parece-nos que a maior benfeitoria da Nissan a esta versão da berlina hatchback é o aumento relevante da capacidade da bateria, para de 40 kWh para já referidos 60 kWh, o que permite à viatura ir muito além de 300 km entre carregamentos. Neste teste, iniciámos um turno de utilização do Leaf com a bateria a 98 por cento da capacidade e terminámo-lo a 4%, após 320 km… no interior da nossa garagem. Em análise anterior à versão com bateria menor, percorreramos apenas 220 km. É uma diferença de 100 km redondos, o que vale muitíssimo num elétrico nos dias de hoje. O Leaf é agora muito mais um viajante (ainda que distante de ser de longo curso como um congénere com motor de combustão, Diesel ou mesmo a gasolina), agora quase um… Tesla. O constrangimento a cada deslocação mais longa reduz-se sobremaneira e numa utilização quotidiana típica de casa-trabalho-casa, num trajeto misto maioritariamente urbano, esta versão do compacto Nissan permite ao condutor esquecer-se de o colocar a carregar uma ou duas noites sem o risco de ter que desesperadamente alcançar um qualquer posto – que poderá não funcionar… – para não ficar a zeros na estrada.

Nessa primeira etapa de utilização da (nova) bateria deixámos o Leaf a carregar em casa, ligado a uma tomada de rede doméstica (a 2,3 kW). Durante seis horas da noite, a percentagem de energia na pilha subiu apenas 30%. É insuficiente se tiver chegado quase esgotada. O tempo de uma carga completa é estimado em 32 horas... Como tal, desaconselha-se. Ou então, recomenda-se a aquisição de opcional carregador Wallbox (7 kW) da Nissan, recarregando-se a bateria de 20 a 80% em 7,5 horas (11,5 horas completamente) e em postos de carga rápida (100 kW), pouco menos de 50% ou o equivalente a 157 km em aproximadamente meia hora, o dobro para enchê-la de 20 a 80%.

A nova bateria de 62 kWh cabe exatamente no mesmo espaço que aloja o pack de 40 kWh. Tudo porque as células estão agora arrumadas de outra forma, com menos espaço entre elas, o que assegura mais 25% de densidade energética. Basicamente, onde no pack de 40 kWh estão 192 células, passam agora a estar 288. Por isso, a habitabilidade e a capacidade da bagageira do veículo nada sofrem, preservando-se, em ambas, níveis bastante satisfatórios para o segmento, em especial a volumetria de carga, de 435 litros na configuração convencional do compartimento, e um máximo de 1176 litros com as costas dos bancos posteriores rebatidos. A estes valores devem-se descontar-se o volume ocupado por um componente do sistema de áudio do especialista Bose e os grossos cabos de carregamento e respetivas fichas.

No banco traseiro, acomodam-se dois adultos em conforto e três com algum condicionamento para o passageiro que se sentar no lugar do meio, na zona dos pés, devido a uma saliência no piso. Acrescente-se a qualidade mediana de construção do interior, mas a sua abundante dotação de equipamento.

Destaque, ainda, para dois sistema ex-libris do Leaf, o ProPilot e o e-Pedal. O primeiro foi concebido para facilitar a tarefa de quem conduz e essencialmente controla três sistemas: o Lane Assist, que mantém o carro entre os limites da faixa de rodagem, o Cruise Control Adaptativo e a Travagem Assistida de Emergência, esta última destinada a evitar embates na traseira de outros veículos, em ciclistas e até atropelamentos de peões. Por seu turno, o e-Pedal permite que o condutor carregue, mais ou menos, no acelerador, consoante o ritmo a que se quer deslocar, para depois desacelerar, mais ou menos, consoante o nível de regeneração que pretende aplicar, reduzindo a velocidade do Leaf, e podendo mesmo travar caso retire o pé do acelerador. Com o e-Pedal, o travão fica guardado para travagens de emergência e pouco mais. Todavia, um condutor normal consegue fazer exatamente o mesmo, até no campo da regeneração de energia, apenas com o acelerador e travão, conduzindo de forma convencional.

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

NISSAN LEAF

62 KWH E+

Motor
Tipo Elétrico síncrono
Potência 217 cv (160 kW)
Binário 340 Nm
Bateria Iões de lítio
Capacidade útil 62 kWh
Tempo de carga (0-80%) Aprox. 60 minutos a 100 kW
Transmissão
Tração Dianteira
Caixa de velocidades Automática de 1 velocidade
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Eixo de torção
Travões F/T Discos ventilados/Discos
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/11 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,490/1,788/1,540 m
Distância entre eixos 2,7m
Mala 435-1176 litros
Depósito de combustível -
Pneus F 215/50 R17
Pneus T 215/50 R17
Peso 1760 kg
Relação peso/potência 8,1 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 157 km/h
Acel. 0-100 km/h 7,3 s
Consumo médio 18 kWh/100 km
Autonomia 385
Garantias/Manutenção
Mecânica 5 anos ou 100.000 km
Pintura/Corrosão -
Bateria 8
Imposto de circulação (IUC) 0 €

Medições

NISSAN

Acelerações
0-50 km/h 2,6 s
0-100 / 130 km/h 7,5 s
0-400 / 0-1000 m 14,8 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 2,2 s
60-100 km/h (D) 3,8 s
80-120 km/h (D) 4,9 s
Travagem
100-0/50-0km/h 37/9,6 m
Consumos
Consumo médio 18 kWh/100km
Autonomia 345 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE