Mazda CX-30 2.0 Skyactiv-X Evolve

Estofo de campeão

TESTE

Por Vítor Mendes da Silva 30-03-2020 09:05

Fotos: Gonçalo Martins

A Mazda anunciou que a procura por modelos com motorização com tecnologia Skyactiv-X na Europa tem sido muito superior ao que inicialmente tinha previsto. Atualmente, 45% das encomendas do CX-30, crossover que deve tornar-se o modelo mais vendido da marca no próximo ano, sucedendo ao CX-5, atual campeão de vendas, são de versões equipadas com este revolucionário motor. E o otimismo justifica-se. Pelo menos no papel… O motor Skyactiv-X tem 2 litros e além da tecnologia de ‘dupla’ compressão possui um compressor e um sistema de 24 volts semi-híbrido, para debitar 180 cv e destacando-se por combinar prestações acima da média e consumos contidos: no CX-30, o motor anuncia consumos médios entre 5,9 e os 7 l/100 km e emissões de CO2 entre os 133 e os 160 g/km.

Skyactiv-X, o que é?

A tecnologia foi desenvolvida com o objetivo de fintar a exigência da eletrificação em massa do automóvel. A fórmula não é original, mas ninguém até agora conseguiu impô-la comercialmente, em consequência da fatura elevada associada à tecnologia. Agora, a Mazda apresenta-a como solução para o cumprimento dos limites de gases de escape mais restritivos com menos dependência da eletrificação, o que não representa renúncia aos híbridos e elétricos. Segundo os responsáveis do fabricante de Hiroshima, o motor Skyactiv-X consome até menos 20 a 30% do que mecânica a gasolina equivalente. O 4 cilindros de 2 litros trabalha através de explosão por compressão e com mistura pobre ar-combustível, o que reduz a temperatura na câmara de combustão e a produção de óxidos de nitrogénio, como sucede nos blocos de injeção direta convencionais e nos Diesel. Como o Skyactiv-X tem sobrealimentação por compressor para a introdução de mais ar no motor (mantém a mistura pobre, não melhora as performances), a Mazda conseguiu otimizar a atuação da mecânica, melhorando as respostas nos regimes baixos e médios, o principal calcanhar de Aquiles de motores atmosféricos.

O ineditismo da proposta confirma-se na estrada, com um comportamento que pede habituação. O crossover da Mazda não tem fôlego ilimitado. E nem se mostra particularmente vigoroso nos regimes mais baixos, só espevitando por volta das 2500 rpm, mantendo-se depois bem acordado e disponível durante vasta faixa de rotações, pelo que já não obriga a recorrer demasiado ao seletor da caixa, o que abona a favor da sua capacidade de recuperação, como podemos verificar nos valores das retomas que apurámos nas nossas medições. Na aceleração de 0 a 100 km/h não ficámos muito aquém do registo homologado pela marca, mas mecânicas naquele patamar de potência mostram mais nervo.

Ao contrário, o Skyactiv-X é suave a subir de rotação e silencioso, desde que não se esmague o pedal da direita à procura de mais chispa. Ainda assim, o CX-30 Skyactiv-X cumpre em rigor o compromisso no ADN da Mazda: condutor muito mais perto do asfalto (a posição de condução não é muito mais alta do que no 3…) e sempre no centro de ação, também a razão por trás da arquitetura do painel de bordo. Na prática, controlo otimizado dos movimentos da carroçaria durante as transferências de massa, em curva, comportamento ágil e seguro – direção precisa e rápida melhora a sensação de capacidade desportiva do chassis, nesta versão com tração dianteira.

A chegada do CX-30 ao portefólio da Mazda é de extrema importância, tratando-se de um modelo que se encaixa numa categoria que está em crescimento acelerado. A base é a competentíssima plataforma da 4.ª geração do Mazda3 e, dinamicamente, é menos SUV, mais berlina, talvez até porque a altura ao solo não está assim tão acima do 3. A grande suavidade que pauta a sua condução tem muito a ver com a presença de mecânica inovadora que permite combinar músculo razoável e baixar consumos e emissões. Bom trunfo.

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

MAZDA CX-30

2.0 SKYACTIV-X EVOLVE

Motor
Arquitetura 4 cilindros em linha
Capacidade 1998 cc
Alimentação Injeção direta
Distribuição 2 a.c.c./16v
Potência 180 cv/6000 rpm
Binário 224 Nm/3000 rpm
Transmissão
Tração Dianteira
Caixa de velocidades Manual de 6 velocidades
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Eixo de torção
Travões F/T Discos ventilados/Discos
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/10,6 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,395/1,795/1,540 m
Distância entre eixos 2,655m
Mala 430-1406 litros
Depósito de combustível 51 litros
Pneus F 7jx18 - 215/55 R18
Pneus T 7jx18 - 215/55 R18
Peso 1320 kg
Relação peso/potência 10,8 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 204 km/h
Acel. 0-100 km/h 8,5 s
Consumo médio 5,9 l/100 km
Emissões de CO2 105 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 3 anos ou 100.000 km
Pintura/Corrosão 3/12 anos
Intervalos entre revisões 30000 km
Imposto de circulação (IUC) 204,21 €

Medições

MAZDA

Acelerações
0-50 km/h 3,5 s
0-100 / 130 km/h 9 s
0-400 / 0-1000 m 17,1 s
Recuperações
40-80 km/h 3.ª 6 s
60-100 km/h 3.ª/4.ª/5.ª 8/9,6 s
80-120 km/h 4.ª/5.ª/6.ª 12,4/21 s
Travagem
100-0/50-0km/h 37,8/9,2 m
Consumos
Consumo médio 6,9 l/100km
Autonomia 739 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE