VW Polo 1.0 TSI DSG R-Line

Candidato a pequeno desportivo

TESTE

Por Paulo Sérgio Cardoso 21-11-2021 07:00

Fotos: Gonçalo Martins

Não é propriamente potente ou rápido, mas os 110 cv associados à caixa automática DSG e ao acabamento R Line ajudam a criar algumas pretensões de acelera. Mas que não passam… de pretensões.

A VW deu um jeitinho ao Polo, numa atualização de extrema subtileza exterior e mais focada na modernização tecnológica do habitáculo e na oferta de mais e novos equipamentos que poderão fazer a diferença neste segmento. De entre as ténues mexidas na carroçaria, é de notar a nova assinatura visual a cargo das óticas LED, à frente e atrás, e esta versão R-Line, de tónica desportiva, que conta com para-choques diferenciados com acabamentos em preto brilhante (que não se destacam quando a pintura exterior é escura, como na unidade testada…) e entradas de ar de maiores dimensões. Atrás, são as saídas de escape cromadas (fictícias) que criam contraste visual e acrescentam personalidade desportiva. Discreto logo ‘R’ surge apenas na grelha dianteira e na zona lateral da carroçaria, por baixo do pilar ‘A’. As jantes de 17’’ da unidade ensaiada são opcionais (315 €), com a versão R Line a trazer, de origem, conjunto de 16’’.

A toada mais vanguardista do interior fica agora espelhada pelo painel de instrumentos digital como parte do equipamento de série (Digital Cockpit, de 8’’), embora esperássemos um pouco mais da qualidade gráfica, ainda longe do que se vive num Golf. As informações são várias e muito completas e o condutor pode também optar por três cenários de visualização, mas as imagens são algo baças... Bem melhor é o sistema multimédia com monitor tátil de 6,5’’ e teclas laterais de atalho para os menus, incluindo compatibilidade com ligações sem fios aos sistemas operativos de smartphone Apple ou Android – o sistema de navegação é opcional. Menos preciso de operar é o também novo sistema de climatização automático, com comandos táteis por cursor, sinal de que nem sempre o que é mais sofisticado resulta como mais prático… Os espelhos retrovisores poderiam ser maiores.

O habitáculo rege-se por uma corretíssima (e simplificada) ergonomia, em que os cómodos e confortáveis bancos desta versão, com aplicações em Alcantara e logo R nas costas, muito contribuem para a sensação de bem-estar interior. O volante, com patilhas de controlo da caixa automática, tem ainda uma ótima pega em pele, ajudando à envolvência do condutor, que se sentirá bem seguro na estrada com as diversas ajudas à condução, caso do alerta de proximidade e travagem autónoma em situações de emergência, assistente de faixa com intervenção no volante ou cruise control ativo. À noite, a iluminação na consola central e na zona dos pés dos passageiros da frente ajuda a criar ambiente de pequeno premium. O espaço no banco traseiro é satisfatório e a mala, com 351 litros, uma das maiores do segmento, incluindo divisória para repartição de zonas de carga.

Muito suavidade em estrada

Nem a arquitetura 3 cilindros do motor 1.0 turbo de 110 cv mancha a suavidade rolante do VW Polo, para mais contando com a ação (relaxante) da caixa automática DSG de 7 velocidades, que inclui função ‘Velejar’ (desacopla a transmissão do motor, ficando a trabalhar ao ralenti nos momentos em que se retira o pé do acelerador) que ajuda a conter os consumos. A transmissão automática também contribui para a alternância de personalidades, com o modo Sport a incutir vivacidade extra à solícita mecânica 1.0 turbo, sempre muito despachada a subir de regime, vindo perfeitamente ao cimo as diferenças face à variante de 90 cv. Se assim for pedido, as trocas de caixa são lestas e as acelerações quase ao ritmo de um pequeno desportivo – embora toda a condução do Polo esteja orientada para cenários de conforto e serenidade, sem mergulhar o condutor em grandes emoções. Os pneus Nexen são fonte de algum ruído de rolamento e a suspensão, com amortecimento de extrema qualidade e robustez, aposta mais no conforto e na estabilidade do que na contenção dos movimentos da carroçaria em curva.

Conte-se com médias de consumo a rondar os 7 l/100 km e com sensibilidade para o aumento das mesmas mediante ritmos mais vivos. O preço desta versão R Line associada ao motor 1.0 Turbo de 110 cv e à caixa automática também é algo elevado face ao segmento, aproximando-se de alguma concorrência mais potente e melhor equipada.

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

VOLKSWAGEN POLO

1.0 TSI DSG R-LINE

Motor
Arquitetura 3 cilindros em linha
Capacidade 999 cc
Alimentação Injeção direta, turbo, interc.
Distribuição 2 a.c.c./12 v
Potência 110 cv/5500 rpm
Binário 200 Nm/2000-3000 rpm
Transmissão
Tração Dianteira
Caixa de velocidades Auto, dupla embraiagem, 7 vel.
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Eixo de torção
Travões F/T Discos ventilados/Discos
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/-
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,074/1,751/1,451 m
Distância entre eixos 2,552m
Mala 351 litros
Depósito de combustível 40 litros
Pneus F 6.5jx16 - 195/55 R16
Pneus T 6.5jx16 - 195/55 R16
Peso 1207 kg
Relação peso/potência 10,9 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 195 km/h
Acel. 0-100 km/h 10,4 s
Consumo médio 5,6 l/100 km
Emissões de CO2 128 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica -
Pintura/Corrosão -
Intervalos entre revisões -
Imposto de circulação (IUC) -

Medições

VOLKSWAGEN

Acelerações
0-50 km/h 3,9 s
0-100 / 130 km/h 10,8/18,4 s
0-400 / 0-1000 m 17,8/32,6 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 4,6 s
60-100 km/h (D) 5,6 s
80-120 km/h (D) 8 s
Travagem
100-0/50-0km/h 37,5/9,5 m
Consumos
Consumo médio 7 l/100km
Autonomia 571 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE