Kia Sorento PHEV Concept

Porta estandarte

TESTE

Por Vítor Mendes da Silva 21-02-2022 07:00

Fotos: Gonçalo Martins

Na Europa, o Sorento está entre os automóveis que mais participaram no crescimento da Kia, cabendo-lhe o estatuto de porta-estandarte do progresso técnico e tecnológico do fabricante sul-coreano.

Sofisticado e muito bem equipado, o Sport Utility Vehicle (SUV) que está atualmente na 4.ª geração é uma das melhores propostas de 7 lugares no mercado, com interior espaçoso e com mala ampla, para confirmar o estatuto de grande rolador da geração que substituiu, mas num patamar muito superior de qualidade e refinamento, com destaque para a suavidade de rolamento.

Deve-o em grande parte à plataforma exclusiva e moderna, a permitir já vários níveis de eletrificação. Na gama, além de versão híbrida com 230 cv (que combina o 1.6 T-GDi e máquina elétrica alimentada por pequena bateria e integrada no módulo da caixa automática de 6 velocidades), há nova motorização PHEV que admite o carregamento externo da bateria para até 57 quilómetros sem gases de escape.

O sistema PHEV do Kia Sorento associa um motor a gasolina 1.6 turbo de 180 cv e uma unidade elétrica de 91 cv alimentada por uma bateria de iões de lítio de 13,8 kWh de capacidade, que permite o carregamento por fonte de energia externa. O módulo gera uma potência total de 265 cv e 350 Nm de binário máximo e garante ao grande SUV coreano a possibilidade de oferecer, por um lado, prestações elevadas ou consumos (e emissões) bastante baixos, por outro. As primeiras, previsíveis pela potência e o binário da motorização, atribuem Sorento performances de bom nível para automóvel com vocação familiar e cerca de duas toneladas de peso. As acelerações são enérgicas (como demonstram tão-só 8 segundos de 0-100 km/h) e as recuperações de idêntica grandeza, disponíveis desde os mais baixos regimes do(s) motor(es), amparadas na suave e bem escalonada caixa automática de seis velocidades e a transmissão integral. Escrevemos motores, porque é fundamental o contributo da unidade elétrica para as velozes prestações da modelo de 7 lugares, e especialmente mais relevante no modo Sport, o mais acutilante do programa de condução do veículo.

A partir do mesmo comando na consola central ativa-se também o modo Eco e todos os disponíveis do Terrain Mode: Lama, Neve e Areia.

O Sorento não tem aptidões TT excecionais, mas encontra-se preparado para incursões fora do asfalto, pouco aventureiras, recomendando-se a condução só em pisos de terra. No entanto, o sistema de descida e subida de declives integrado no pacote de assistências eletrónicas à condução garante alguma capacidade de transposição de obstáculos, maior nesta versão com quatro rodas motrizes.

Autonomia elétrica e consumo

Em contraponto às performances, o baixo consumo. Usando todas as potencialidades do agregado híbrido (utilizadores deste SUV que, ao não recarregarem a bateria do motor elétrico por fonte de energia exterior, não retiram a melhor eficiência da tecnologia híbrida), estão garantidos valores mínimos referenciais. Nos primeiros 50 km, deixando o sistema a fazer a gestão das fontes e fluxos energéticos na motricidade do veículo, registámos o consumo médio foi de 2,5 l/100 km. Por defeito, o motor que prevalece é o elétrico, desde que haja bateria. O motor a gasolina só entra em funcionamento quando é solicitada mais potência (acelerações fortes, velocidades elevadas). Ou após o esgotamento da carga (o sistema reserva automaticamente alguns kWh para os arranques e as manobras a baixa velocidade).

Conduzindo nessa “reserva” de bateria, com a atuação quase em exclusivo do 4 cilindros, o consumo sobe para ainda bastante satisfatórios 6,8 l/100 km.

O carregamento das baterias no Sorento é uma operação que demora cerca de quatro horas (a 3,7 kW).

Preço e equipamento

Os 65 950 euros (62 450 euros com a campanha em vigor) pedidos pela Kia colocam o Sorento PHEV no raio de ação das referências premium alemãs, posicionamento de preço que a marca coreana faz por compensar com dotação de série acima da média.

Nos equipamentos multimédia, monitores a cores e táteis de 8’’ ou 10,25’’, dependendo do nível de equipamento. São compatíveis com as tecnologias Android Auto (Google) e CarPlay (Apple) e, na versão de topo, mais sofisticada, encontra-se até ligação à Internet, através de cartão SIM virtual, para consulta de informações sobre o estado do trânsito, as previsões meteorológicas ou os preços dos combustíveis. Também é disponibilizada aplicação para smartphone, para controlo e monitorização remotos de várias funções do automóvel, da autonomia elétrica à abertura ou fecho das portas.

O banco do condutor e do passageiro à frente contam com ajustes elétricos, incluindo apoio lombar e memória, na consola há carregador wireless para smartphone, câmara de estacionamento 360 graus, comandos no volante e sistema de reconhecimento de voz, Cruise Control adaptativo com Sistema Stop&Go, ligações USB (nas 1a, 2a e 3a filas), teto panorâmico com abertura elétrica e vidros traseiros escurecidos. E a mesma generosidade nos itens de segurança, com destaque para o airbag entre os bancos dianteiros ou o assistente de autoestrada e de fila de trânsito, capaz de manter a distância para o carro da frente e de manter o SUV na faixa.

Na dinâmica, comportamento equilibrado e eficaz em curva, sem demasiados movimentos transversais da carroçaria nas transferências de massas mais bruscas, com um conforto de rolamento acima da média. Apesar de o Sorento não ter tato firme que confira agilidade referencial, está longe de ser pouco expedito. Em estrada o SUV mostra-se competente, assegurando bom compromisso entre eficácia em curva e conforto de rolamento, e tem no amortecimento brando (mas sólido) da suspensão o reflexo do rigor na construção deste mecanismo, dos seus isolamentos e ligações.

Cinco ou sete lugares

Independentemente da configuração do habitáculo (cinco ou sete lugares), no habitáculo do grande SUV da Kia muita liberdade de movimento em todos os lugares, mas os dois bancos da 3.ª fila recomendam-se só para o transporte de crianças (dispensando-os, rebatem-se de forma automática em comandos no compartimento de carga). Esgotando a lotação, a bagageira tem apenas 175 litros. A capacidade mínima da bagageira sobe para gigantescos 809 litros, só com cinco lugares montados.

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

KIA SORENTO

PHEV Concept

Motor térmico
Arquitetura Arquitetura 4 cilindros em linha
Capacidade 1598 cc
Alimentação Inj. direta, Turbo, Intercooler
Distribuição 2 a.c.c./16v
Potência 180 cv/5500 rpm
Binário 265 Nm/1500-4000 rpm
Motor elétrico
Tipo Tipo Síncrono de íman permanente
Potência 91 cv
Binário 350 Nm
Bateria Iões de lítio
Capacidade da bateria 13,8 kWh
Módulo Híbrido
Potência 265 cv
Binário 350 Nm
Transmissão
Tração Tração Integral
Caixa de velocidades Automática de 6 vel.
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Ind. McPherson
Travões F/T Discos ventilados
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/11 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,810/1,900/1,695 m
Distância entre eixos 2,815m
Mala 1996-813-179 litros
Depósito de combustível 50 litros
Pneus F 8,5jx19-235/55 R19
Pneus T 8,5jx19-235/55 R19 Peso 2174 kg
Peso 2174 kg
Relação peso/potência 8,2 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 193 km/h
Acel. 0-100 km/h 8,7 s
Consumo médio 1,6 l/100 km
Emissões de CO2 38 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 7 anos/150.000 km
Pintura/Corrosão 3/12 anos
Intervalos entre revisões 30000 km
Imposto de circulação (IUC) 171,69 €

Medições

KIA

Acelerações
0-50 km/h 3,2 s
0-100 / 130 km/h 8,8 s
0-400 / 0-1000 m 16,4 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 3,9 s
60-100 km/h (D) 5,0 s
80-120 km/h (D) 6,1 s
Travagem
100-0/50-0km/h 35,8/8,8 m
Consumos
Consumo médio 7 l/100km
Autonomia 714 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE