Toyota GR Yaris Premium vs Toyota GR Supra Fuji

Sensações fortes

CONFRONTO

Por Paulo Sérgio Cardoso 08-01-2022 12:00

Fotos: Gonçalo Martins

O braço desportivo da Toyota, a Gazoo Racing, tem agora dois modelos de distintos legados motivos: o novo GR Yaris, de 261 cv, tração integral e caixa manual é uma máquina nascida em berço de ralis, ao passo que o GR Supra 2.0 Turbo, com 258 cv, tração traseira e caixa automática promete condução mais refinada e à medida de qualquer circuito

O presidente da Toyota, Akio Toyoda, foi o principal mentor da criação da Gazoo Racing (GR), o legado desportivo da Toyota, capaz de alimentar a paixão pela velocidade e pelas sensações fortes ao volante – que estavam em falta na marca nos últimos 20 anos, excetuando o GT86, o primeiro sintoma de irreverência da então embrionária GR.

O primeiro modelo autónomo foi o Supra, lançado em 2019, que na altura sofreu (infundadas...) críticas dos mais acérrimos defensores da marca por ser projeto saído de parceria com a BMW. Então foi a forma escolhida pela Toyota para colocar no mercado um modelo icónico, e que o fabricante soube distinguir, no design e nas afinações técnicas, do primo Z4. Também ajudou a orientar recursos financeiros para investigação e desenvolvimento, que culminaram nesta pequena bomba (100% Toyota), o GR Yaris. Lado a lado, as duas faces emotivas da GR.

O pequeno GR Yaris é agora modelo único no mercado, autêntico concentrado de poderio técnico que traz à memória os Subaru Impreza e Mitsubishi Lancer Evolution que, à semelhança deste Yaris, serviram de berço a carros de homologação para rali. Um dos pilares do GR Yaris é o pequeno (e mais potente em produção em série) motor 3 cilindros da atualidade, com 261 cv retirados de 1,6 litros de capacidade e um temperamento perfeitamente arralizado: é motor de uso até parco em espontaneidade e nervosismo no dia-a-dia, mas que se transfigura totalmente acima das 3000 rpm! Ou seja, como que pede para ser puxado e brutalizado, sem medo de subir até ao red line, onde também as passagens de caixa (existe sinal sonoro a alertar o momento ideal para as fazer) e (mínimas) quebras de regime parecem saídas do mundo da competição. Para controlo purista da situação, transmissão manual de 6 velocidades, de curso curto e alavanca colocada bem perto do volante.

Na verdade, a eletrónica na condução foi quase toda direcionada para o controlo do sistema de tração integral, com três modos de ação que apenas afetam a distribuição de potência pelos eixos: Normal (60:40), Sport (30:70) e Track (50:50). Ficaram por incluir modos de condução que tornassem a resposta ao acelerador mais rápida e modificasse a sonoridade de escape – não é (mesmo!) preciso mexer no amortecimento nem nas leis da direção, perfeita, de excelente tato mecânico. Ainda assim, o GR Yaris proporciona muito aceitáveis níveis de conforto numa utilização quotidiana, com bancos ergonómicos e cómodos, consumos a rondar os 9 l/100 km e em que apenas a posição de condução resulta algo elevada para modelo de cariz tão radical.

Mas é o efeito pontudo deste pequeno motor sobrealimentado que contribui para a experiência de condução de carro de ralis. Depois, a tração integral garante motricidade ótima, independentemente do tipo de piso – sim, testámos e fizemos uma pequena passagem por terra batida – com o GR Yaris a catapultar-se nas acelerações quase sem esgravatar o terreno. Chega a ser impressionante o nível de eficácia aferida e as reais diferenças entre os modos de funcionamento da transmissão, pelo que preferimos selecionar o mais radical Sport (ou seja, com envio preferencial de potência para o eixo traseiro) mesmo em pisos escorregadios! Neste modo, o Yaris baila de forma assertiva e controlada, deixando para os outros dois modos uma dinâmica exímia na precisão e segurança em curva, mesmo a velocidades elevadas. O sistema de travagem acompanha a toada sem sintomas de fadiga. E até existe travão de mão manual para pilotos mais radicais!

E tudo isto na versão mais bonitinha e arranjadinha da gama GR Yaris, a Premium, que não inclui os elementos mais radicais da versão Rally (caso da suspensão GR Circuit mais firme, diferenciais autoblocantes e jantes forjadas e mais leves), mas que soma várias ajudas eletrónicas à condução, deteção traseira de aproximação de veículos, alerta de ângulo morto, head up display, sistema de som da JBL e navegação. Tudo pelo mesmo preço final.

A legião Supra é feita de outra fibra, mais refinada. Não deixa de ser curioso o motor 2 litros turbo (BMW) debitar potência semelhante à do 1.6 do Yaris, mas expressa-se com mais binário e superior espontaneidade em baixos regimes. A relação peso/potência é semelhante nos dois modelos, se bem que é fácil encontrar o perfil mais tecnológico do Supra nos modos de condução, suspensão de amortecimento variável e caixa automática de 8 velocidades. Como desportivo baixinho, só para dois e com ambições de track day, a potência é entregue apenas às rodas traseiras, que nesta versão limitada Fuji Speedway conta com jantes negras de 19’’ que contrastam com muitos dos elementos decorativos a vermelho: capas de retrovisor e aplicações em pele no interior.

Embora seja um desportivo sem compromissos práticos, o certo é que o Supra se deixa levar pela fluidez e serenidade da suspensão, direção e caixa, mas ganhando um sério carisma dinâmico no modo Sport, em que até a sonoridade de escape foi trabalhada para encantar. O casamento da curta distância entre eixos com vias largas permite equilibrar a agilidade com a motricidade, com este enérgico motor a chegar para todas as encomendas, mesmo face à mais poderosa versão 3 litros (306 cv). Num interior tão apertado, o volante poderia ser mais pequeno, mas tudo o resto é cuidado e requintado.

Este encontro dos irmãos da família GR prova que a Toyota está apostada em criar verdadeiras máquinas emotivas, para clientes tão diversificados, seja os apaixonados pelos desportivos de dois lugares e tração traseira (Supra), seja a quem procura máquina mais radical, mecânica e visceral, como o GR Yaris. Em Portugal, o pequeno Yaris já colheu mais de 45 encomendas online (com preferência quase total pela versão Rally, que brevemente iremos trazer às páginas de AUTO FOCO), o que ajuda a perceber que este género de modelos continua a fazer falta e a despertar paixões, mesmo numa época em que a eletrificação e a eficiência energética estão na ordem do dia. Pelo que experimentámos, o GR Yaris é, atualmente, modelo único no mercado, o que ajuda a justificar o preço elevadíssimo...

Ler Mais

Ficha Técnica

Características

TOYOTA SUPRA

GR 2.0T Fuji

TOYOTA YARIS

GR Premium

Motor
Arquitetura 4 cil. em linha, longitudinal 3 cil. em linha, transversal
Capacidade 1998 cc 1618 cc
Alimentação Inj. direta, turbo, intercooler Inj. direta e ind., turbo, interc.
Distribuição 2 a.c.c./16v 2 a.c.c./12v
Potência 258 cv/5000-6500 rpm 261 cv/6500 rpm
Binário 400 Nm/1550-4400 rpm 360 Nm/3000-4600 rpm
Transmissão
Tração Traseira Integral
Caixa de velocidades Automática de 8 vel. Manual de 6 vel.
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson Ind. McPherson
Suspensão T Ind. multibraços Ind. Duplos triângulos
Travões F/T Discos ventilados Discos ventilados
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/10,4 m Elétrica/10,6 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,379/1,854/1,299 m 3,995/1,805/1,460 m m
Distância entre eixos 2,47 m 2,558 m
Mala 290 litros 174 litros
Depósito de combustível 52 litros 50 litros
Pneus F 255/35 R19 225/40 R18
Pneus T 275/35 R19 225/40 R18
Peso 1395 kg 1255 kg
Relação peso/potência 5,4 kg/cv 5,2 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 250 km/h 230 km/h
Acel. 0-100 km/h 5,2 s 5,5 s
Consumo médio 7,5 l/100 km 8,2 l/100 km
Emissões de CO2 170 g/km 186 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 7 anos ou 160.000 km 7 anos ou 160.000 km
Pintura/Corrosão 3/12 anos 3/12 anos
Intervalos entre revisões 30000 km 30000 km
Imposto de circulação (IUC) 239,37 € 171,69 €

Medições

TOYOTA

Acelerações
0-50 km/h 2 s
0-100 / 130 km/h 5,1/8 s
0-400 / 0-1000 m 13,4/24,6 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 2,4 s
60-100 km/h (D) 2,9 s
80-120 km/h (D) 3,4 s
Travagem
100-0/50-0km/h 34,3/8,8 m
Consumos
Consumo médio 8,3 l/100km
Autonomia 626 km

Medições

TOYOTA

Acelerações
0-50 km/h 1,8 s
0-100 / 130 km/h 5,4/8 s
0-400 / 0-1000 m 13,7/25,3 s
Recuperações
40-80 km/h 3.ª 3,5 s
60-100 km/h 3.ª/4.ª/5.ª 3,1 s
80-120 km/h 4.ª/5.ª/6.ª 3,7 s
Travagem
100-0/50-0km/h 35,1/8,7 m
Consumos
Consumo médio 9 l/100km
Autonomia 555 km