BMW dá início à produção do iX5 a hidrogénio

Atualidade

Por AF 02-12-2022 17:45

Após o início da produção dos módulos 'fuel cell' para o iX5 Hydrogen, em agosto, a BMW anuncia agora o arranque dos trabalhos da linha de produção do SUV alimentado a hidrogénio.

Embora não divulgando números, a BMW anuncia que a produção será em pequena escala, com cada unidade a envolver várias horas de trabalho de manufatura. As primeiras unidades deverão começar a circular nas estradas na primavera de 2023, mas apenas em alguns mercados.

O BMW iX5 Hydrogen faz uso de pilha de combustível que alimenta motor elétrico da quinta geração da tecnologia BMW iDrive, com um rendimento máximo anunciado de 374 cv. As operações de reabastecimento duram apenas entre três a quatro minutos, bem mais breves que nos modelos exclusivamente elétricos carregados em rede pública ou doméstica – e a BMW garante que o iX5 Hydrogen pesa bem menos que um SUV elétrico de iguais dimensões dotado de uma bateria de iões de lítio de alta capacidade.

A BMW continua a apostar na versatilidade do hidrogénio enquanto fonte de energia essencial para o alcance da neutralidade climática, sendo uma tecnologia perfeitamente enquadrada no atual cenário da mobilidade elétrica, alargando o leque de opções face às necessidades de utilização e preces dos clientes.

Esta aposta da BMW segue um rumo de vários anos já dedicados ao desenvolvimento da tecnologia fuel cell, culminando agora numa arquitetura técnica de menores dimensões e peso, além de rendimento otimizado da tecnologia que marca presença no iX5 Hydrogen. Neste novo SUV, a BMW consegue encaixar a pilha de combustível (fuel cell), o motor elétrico e os dois tanques de hidrogénio na plataforma do X5.

Embora não existindo ainda uma rede de abastecimento global que permita o melhor aproveitamento da tecnologia, a BMW crê que o fuel cell possa vir a complementar a oferta de mobilidade elétrica, indo mais facilmente ao encontro de clientes que percorram longas distâncias e que, assim, ficarão menos dependentes dos perídos de carregamento.

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Atualidade