Comprar carro novo em 2022 será mais caro

Os impostos sobre a compra (ISV) e a utilização de automóveis (IUC) aumentam na proporção da taxa de inflação prevista, ou seja, cerca de 1 %

Atualidade

Por AUTO FOCO 12-10-2021 14:55

A proposta de Orçamento do Estado (OE) para 2022 atualizará a fiscalidade automóvel de acordo com a taxa de inflação prevista, ou seja, tanto o ISV (Imposto Sobre Veículos) como o IUC (Imposto Único de Circulação) terão um agravamento de 0,9%.

Por outro lado, o Governo prevê uma aceleração das vendas de automóveis no próximo ano, esperando assim um crescimento da receita. O ISV, por exemplo, é pago no momento da aquisição do veículo e o Executivo estima arrecadar 481 milhões € em 2022, mais 9% do que em 2021 (22 milhões €).

No caso do IUC (antes denominado por «selo do carro») prevê-se que a receita aumente cerca de 13 milhões € (mais 3%) quando comparada com 2021.

No âmbito das medidas de ação climática continuará a existir o incentivo à compra de automóveis 100% elétricos, financiado pelo Fundo Ambiental e a definir por despacho. Até agora, os particulares têm recebido uma comparticipação de 3000 € na compra de um veículo elétrico, desde que o custo total de aquisição não ultrapasse 62.500 €. Para as empresas é possível obter até 4 incentivos no valor de 2000 €.

No caso dos motociclos e das bicicletas elétricas, o apoio é equivalente a 50% do valor de aquisição e até ao máximo de 350 €. Em todos os casos, é obrigatório manter o veículo por um período mínimo de 24 meses e não é possível exportá-lo.

As medidas defendidas pela ACAP (Associação do Comércio Automóvel) não foram tidas em conta no presente OE para 2022, tendo sido descartadas, por exemplo, a redução do IVA e do IRC (um dos mais elevados na União Europeia), assim como a implementação de um programa de apoio à renovação do parque automóvel, tal como aconteceu em Espanha, França e Itália ou ainda a reversão da legislação aprovada no Orçamento de 2021 que prejudicou fiscalmente os modelos híbridos.

A proposta do OE2022 prevê que a economia nacional possa ter um crescimento de 4,8% em 2021 e de 5,5% em 2022. A dívida pública deverá atingir 122,8% do PIB em 2022, face à estimativa de 126,9% para este ano.

A discussão parlamentar da proposta do OE para 2022 decorrerá entre 22 e 27 de outubro. A votação final está agendada para o dia 25 de novembro.

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Atualidade