Dacia acelera nas vendas e novo plano promete

2022 foi ano de quotas recorde para a Dacia, mas a marca romena do Grupo Renault não vai levantar o pé do acelerador...

Atualidade

Por AUTO FOCO 19-01-2023 12:25

Na Europa, o Dacia Sandero foi o automóvel mais vendido a particulares pelo sexto ano consecutivo, mas no portefólio da marca romena do Grupo Renault também figura o SUV que mais vendas vale nesse canal. Chama-se Duster, cresceu 5,8% face a 2021, para 197.100 unidades entregues.

O Sandero vendeu 229.500 unidades em 2022, mais 1,2% do que no ano anterior.

Apesar dos persistentes desafios da indústria automóvel, tais como a pandemia de Covid-19, a escassez de componentes eletrónicos e questões logísticas, a Dacia vendeu, em 2022, o impressionante número de 573.800 automóveis, registando um crescimento de 6,8% em comparação com 2021. A marca também atingiu um marco significativo em 2022, vendendo o automóvel 8 milhões, a nível mundial, desde 2004.

“Os números relativos aos volumes de vendas e quotas de mercado da Dacia, na Europa, aumentaram em 2022, confirmando a relevância da nossa estratégia, baseada na redefinição do que é essencial e na adaptação dos nossos produtos às necessidades dos clientes. Em 2023, vamos aproveitar este impulso, alargando a nossa gama de automóveis eletrificados e mantendo-nos fiéis ao posicionamento da Dacia de oferecer aos nossos clientes a simplicidade e a melhor relação custo-benefício", comentou Xavier Martinet, Vice-Presidente Sénior de Marketing, Vendas e Operações da Dacia.

No plano para o novo ano, a aposta na expansão da gama de automóveis eletrificados, com o novo Jogger Hybrid 140 e o Spring equipado com o novo motor ELECTRIC 65; o lançamento do novo nível de acabamentos, Extreme, no Spring; e a atualização da rede de vendas e serviços, em conformidade com a nova identidade da marca.

Jogger: Híbrido mais barato do mercado

O Jogger Hybrid 140 apenas estará disponível na versão SL Extreme, desde 28.800 euros, o que faz do Dacia o híbrido com sete lugares mais barato do mercado. 

O sistema híbrido tem por base motor a gasolina de quatro cilindros, com 1,6 litros de cilindrada e 90 cavalos, associado a dois motores elétricos (um motor de 50 cv e um motor de arranque/gerador de alta tensão), e uma caixa de velocidades elétrica automática, com quatro velocidades, acoplada ao motor de combustão e de duas velocidades acopladas ao motor elétrico. A ausência de embraiagem permitiu à Dacia integrar esta tecnologia combinada.

A travagem regenerativa, combinada com os elevados níveis de recuperação de energia da bateria de 1,2 kWh (230V) de capacidade e a eficiência da transmissão automática.

A marca do losango promete propulsão totalmente elétrica em até 80% das viagens urbanas e uma economia de combustível até 40% maior em comparação com um motor de combustão interna nos mesmos trajetos citadinos.

A bateria é instalada sob o piso do automóvel no compartimento da roda sobresselente, precisamente o mesmo local onde pode encontrar o depósito de GPL nas versões equipadas com o motor ECO-G 100.

Dacia Spring ganha 20 CV

Em menos de dois anos, o Dacia Spring ultrapassou as 100.000 encomendas, sucesso que impulsionou a marca romena na criação de uma nova versão, com mais equipamento, potência e autonomia elétrica.

O Spring Extreme vem com a nova cor “Slate Blue” e exclusivos detalhes de design, mas a novidade maior é o novíssimo motor ELECTRIC 65 (65cv/48kW), acoplado a uma nova caixa de velocidades que multiplica o binário transmitido às rodas.

Com o novo motor, mais potente e exclusivo da versão Extreme, o Spring tem uma autonomia de 220 km em ciclo misto e 305 km em ciclo urbano, em vez de 234 km na versão de 45 cv.

O motor ELECTRIC 45 (45cv/33kW) continuará a estar disponível no nível de acabamento Essential.

O Spring Extreme com o novo motor ELECTRIC 65 pode ser encomendado, em Portugal, a partir do próximo dia 17 de janeiro, pelo valor de 22.050 euros, mais 1650 euros que a versão com menos

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Atualidade