Dacia Sandero Stepway TCe 90 Bi-Fuel

Dá-lhe gás!

TESTE

Por João da Silva 04-08-2019 17:20

Fotos: Gonçalo Martins

A Dacia já vendeu 37.254 unidades em Portugal desde que chegou ao nosso país em 2008 (números até março deste ano), sendo que entre nós o Sandero é o modelo mais vendido da marca romena, com 46% das vendas. Nesta atualização de gama, a Dacia aposta forte na Série Limitada Adventure (criada a partir do versão aventureira Stepway, que constitui 65% das vendas do Sandero), bem como nas versões GPL (Gás de Petróleo Liquefeito), procurando assim preencher o espaço deixado pelo Diesel, cada vez menos procurado neste utilitário, como o provam as encomendas já existentes: 69% gasolina, 27% Bi-Fuel, 4% Diesel. No final de 2018, era já forte o indicador do crescimento do GPL no Sandero, com as vendas a registarem 50% para as versões a gasolina, 21% Diesel e 29% GPL. Uma nota: em 2018, 67% dos automóveis GPL vendidos em Portugal eram Dacia…

Começando a nossa análise pela característica mais importante do Sandero que testámos, ser Bi-Fuel, um ponto prévio: devido a uma aberrante lacuna na nossa legislação, as versões Bi-Fuel não beneficiam de redução de ISV (exclusivo de versões 100% a GPL, que não existem…), nem de redução de Imposto único de Circulação (IUC).

Portanto, quem compra uma versão Bi-Fuel pretende, mais do que tudo, beneficiar do preço baixo do GPL face aos outros combustíveis. Tendo em conta que o Sandero consome 9,2 l/100 km de GPL (valor oficial é de 8,2) e que o depósito de Gás de Petróleo Liquefeito tem 32 litros, a autonomia sem gastar gota de gasolina é de 347 km.

Se optarmos por utilizar apenas gasolina, sendo o consumo médio apurado de 7,5 l/100 km (valor oficial, 6,5 l/100 km), percorremos 666 km com um depósito de 50 litros. Introduzindo aqui a versão exclusivamente a gasolina, proposta por 13.762 €, menos 642 €, percebemos que a segunda fica paga ao fim de 10.700 km. Convenhamos, não é um mau negócio.

E os entraves à utilização do GPL têm vindo a desaparecer: está já provado que a tecnologia é fiável e seguríssima, o discriminatório dístico GPL azul já deixou de ser obrigatório, estes veículos já podem estacionar nos parques de estacionamento subterrâneos, há 370 postos de abastecimento espalhados pelo território Continental e 100% da rede de concessionários Dacia tem pelo menos um técnico certificado para qual quer intervenção de manutenção ou reparação.

Finalmente, a utilização em modo gás não difere quase nada de quando o carro está a utilizar gasolina (o TCe 90 está equipado com dois sistemas de injeção distintos), sendo a operação de passagem de uma solução para a outra muito fácil de efetuar, bastando premir um botão na consola central. Tudo certo e simples até aqui, não fosse o botão algo de muito arcaico e que inclui um medidor muito pouco preciso da quantidade de GPL ainda no depósito. É de rever e de trocar por uma solução mais refinada.

Depois, a utilização de qualquer das soluções permite uma condução fluída, ainda que a pouca força do motor obrigue a recorrer à caixa em subidas mais pronunciadas ou para efetuar uma ultrapassagem mais apressada. E para comprovar isto basta dar uma vista de olhos pelas medições.

O Dacia Sandero não é, também, o mais confortável dos carros, acusando a falta de filtragem em pisos rugosos ou na travessia de buracos ou lombas sonoras, transmitindo ao habitáculo ruídos e energia resultante dos impactos. E por falar em habitáculo, este continua a pautar-se pela simplicidade na decoração e pela austeridade dos materiais e acabamentos.

Por fim, destaque para a nova série limitada Adventure, que acrescenta à dotação base da versão Stepway novas jantes de 16 polegadas, ar condicionado automático, sistema multimédia com ecrã tátil de 7” com sistema de navegação, e compatível com Android Auto e Apple CarPlay, e ainda câmara de marcha-atrás. 

A Dacia vai continuar a apostar no GPL através das versões Bi-Fuel, uma solução que lhe tem garantido muitas vendas e lucros. No caso concreto do Sandero que testámos, consideramos que se trata de um carro bastante interessante para quem quer comprar um meio de locomoção relativamente barato e sem custos exagerados de manutenção, sobretudo no que concerne à despesa com combustível. Isto, optando por utilizar maioritariamente o GPL.

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

DACIA SANDERO

TCe 90 BI-FUEL

Motor
Arquitetura 3 cilindros em linha
Capacidade 898 cc
Alimentação Inj. indireta, turbo, intercooler
Distribuição 2 a.c.c./12v
Potência 90 cv/5000 rpm
Binário 140 Nm/2250 rpm
Transmissão
Tração Dianteira
Caixa de velocidades Manual de 5 velocidades
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Eixo de torção
Travões F/T Discos ventilados/Tambores
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/10,68 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,089/1,761/1,615 m
Distância entre eixos 2,589m
Mala 320 - 1200 litros
Depósito de combustível 50 litros
Pneus F 6jx16 - 195/55 R16
Pneus T 6jx16 - 195/55 R16
Peso 1138 kg
Relação peso/potência 12,64 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 168 km/h
Acel. 0-100 km/h 11,3 s
Consumo médio 6,5 l/100 km
Emissões de CO2 147 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 3 anos ou 100.000 km
Pintura/Corrosão 3/12 anos
Intervalos entre revisões 30000 km
Imposto de circulação (IUC) 137,26 €

Medições

DACIA

Acelerações
0-50 km/h 4,6 s
0-100 / 130 km/h 13,8 s
0-400 / 0-1000 m 19,1 s
Recuperações
40-80 km/h 3.ª 7,6 s
60-100 km/h 3.ª/4.ª/5.ª 8,4/12,6 s
80-120 km/h 4.ª/5.ª/6.ª 13,3/22,1 s
Travagem
100-0/50-0km/h 39,2/9,6 m
Consumos
Consumo médio 7,5 l/100km
Autonomia 1013 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE