Topo de gama recorre a plataforma TNGA-K, variante maior da nova arquitetura, acima da TNGA-C de tração dianteira Sistema híbrido alia motor a gasolina 2.5 com 178 cv a unidade elétrica (120 cv): potência total: 218 cv A espessura do painel de bordo foi reduzida para proporcionar melhor visibilidade frontal ao condutor. Bons materiais e construção rigorosa Havendo carga nas baterias, é possível acionar-se condução em modo 100% elétrico a partir de botão instalado na consola central No ecrã central digital, configurável a gosto, acompanha-se em tempo real o funcionamento do sistema híbrido A tecnologia ‘Sequential Shiftmatic’ permite ‘fazer trocas’ no seletor como se fosse uma caixa automática de seis velocidades Completa lista de equipamentos de segurança ativa está entre os trunfos principais do regressado Camry no topo da gama Entre os mostradores da instrumentação há ecrã a cores de 7’’ que permite aceder a múltiplas informações A bagageira da berlina de quatro portas oferece 524 litros de capacidade. Apesar do rebordo um pouco elevado, o acesso é amplo Bancos em pele são de série desde o nível de entrada Exclusive. Acima deste, Luxury e Limousine No banco posterior, encosto de braços escamoteável integra pequena consola digital com comandos para funções diversas Bancos traseiros em dois ‘formatos’: rebatimento 60:40 ou reclináveis 40:20:40 com encostos de cabeça largos Berlina híbrida com 218 cv no topo da gama da Toyota A berlina de quatro portas posicionada no topo da gama europeia da Toyota regressa ao Velho Continente após ausência de 15 anos Plataforma é partilhada com o Lexus ES Conforto de rolamento bastante elevado Habitabilidade, versatilidade e equipamento são trunfos O Camry é comercializado em mais de 100 países e tem mais de 19 milhões de unidades vendidas, a uma cadência média de 700.000 veículos por ano

Toyota Camry Hybrid

O campeão voltou

TESTE

Por Vítor Mendes da Silva 13-10-2019 09:00

Fotos: Gonçalo Martins

O Toyota Camry regressa ao Velho Continente com o invejável estatuto de campeão de vendas: nos Estados Unidos, a berlina posicionada no topo da gama do fabricante japonês detém recorde comercial, sendo a viatura ligeira de passageiros mais vendida há 15 anos! Muito tempo consecutivamente no topo, e o mesmo de ausência no mercado europeu, por não ter conseguido impor-se comercialmente… E esta hein?

O que mudou de lá para cá? Praticamente tudo! Desde logo, o paradigma na indústria, com o Diesel a perder terreno para motorizações alternativas. Depois, a forma como a Toyota pensou a nova berlina híbrida de 218 cv, a partir de folha em branco. Tudo para explicar que, agora, na sua 8.ª geração (a 1.ª é de 82…), o Camry terá todos os trunfos de que necessita para se afirmar como porta-estandarte de nova família de modelos da marca, também, neste lado do Atlântico. Começando na estampa imponente de medidas avantajadas (4,8 m de comprimento, 1,84 m de largura, 1,4 m de altura e 2825 mm de distância entre eixos), passando pelo visual moderno, que não tem o estilo irreverente de um C-HR nem elementos vincadamente racing inspirados, por exemplo, no Supra, mas é elegante e conservador como convém em modelo dirigido a cliente-tipo em idade mais madura, lançado também a pensar (muito!) nas frotas.

Por fim, a técnica de ponta. O destaque vai inteirinho para a tecnologia híbrida, com o novo 4 cilindros de 2,5 litros Hybrid com 218 cv no total, e que integra avançadas tecnologias da Toyota, como o VVT-i Dual com VVT-iE (sistema inteligente de abertura variável de válvulas para motorizações híbridas) e D-4S (versão superior do motor a gasolina de injeção direta) para otimizar potência, minimizar emissões e favorecer a eficiência do consumo de combustível. Além disso, o conjunto híbrido utiliza a tecnologia Sequential Shiftmatic, que permite ao condutor fazer as passagens da caixa (do tipo de variação contínua) através do seletor na consola, imitando o funcionamento de uma caixa automática convencional de seis velocidades. Aplauda-se o bom nível das prestações, a suavidade e resposta do sistema híbrido, capaz de acelerar o Camry sem esforço em todas as solicitações da condução. A troca de relações, sendo artificial, torna a experiência mais interativa.

Dinamicamente, o novo topo de gama japonês beneficia do facto de estar assente em plataforma ótima, a nova arquitetura global da Toyota (TNGA), com que se pretende estabelecer novo padrão de qualidade e sofisticação tecnológica aos seus veículos.

A forma ágil e segura como se deixa conduzir com dois dedos é mérito desta estrutura leve e altamente rígida, mas o baixo centro de gravidade do veículo e a boa capacidade de processamento do conjunto mola/amortecedor ajudam a explicar qualidade de rolamento, conforto e estabilidade acima da média, mesmo se a reação é a típica de berlina avantajada, com trejeitos de limousine, privilegiando o conforto. Aqui, às de trunfo contra a maioria dos concorrentes diretos, valendo-se também da capacidade de ser movimentado só com motor elétrico, além do impulso do mesmo associando-se à unidade térmica, em aceleração, fazendo com que o Camry deslize com suavidade sobre o asfalto.

Para o bom feeling a bordo, também contribuem obviamente os acabamentos de topo no seu habitáculo, corretíssimo do ponto de vista da ergonomia, funcional e prático. Espaço também não falta para cinco adultos viajarem em classe executiva: os bancos traseiros rebatem-se manualmente ou através de comando elétrico, a partir de ecrã tátil montado no apoio de braços central, e através do qual é possível comandar, também, a climatização e o sistema de som. A bagageira, com 524 litros, mais do que satisfaz.

Além de extremamente espaçoso, o interior do Camry faz-se acompanhar pela construção rigorosíssima. A posição de condução roça a perfeição (banco e volante ajustáveis eletricamente), com as poltronas dianteiras a servirem ótimos apoios.

Na apresentação do painel de bordo, destaque para a versão mais recente do sistema multimédia Touch 2, com o ecrã de 7” na instrumentação, head-up display de 10” e monitor de 8” na consola central. O nível de equipamento Limousine, da versão que ensaiámos, é o mais requintado de três acabamentos disponíveis (Executive e Elegance são os outros), e caracteriza-se pela dotação sem falhas, quer em matéria de equipamentos de conforto, quer nos dispositivos de segurança, a que acrescenta pormenores que ajudam a fazer a diferença, como a cortina escamoteável no óculo traseiro, que recolhe automaticamente sempre que engrenamos a marcha-atrás, ou o monitor de condução eficiente que sinaliza, por exemplo, um vidro que não está completamente fechado quando rolamos a velocidade cruzeiro através de mensagem no painel de instrumentos, sendo possível fechá-lo apenas respondendo OK na referida janela de texto. Prático.

Tudo para dar certo: além do caloroso acolhimento do habitáculo superiormente equipado, o Camry demarca-se quer pela suavidade de rolamento, quer pela imunidade face a ruídos exteriores. O grupo propulsor híbrido, com 218 cv, também é trunfo valioso, competente em todas as situações de condução, mas melhor adaptado a ambientes urbanos e velocidades baixas constantes, onde o consumo poderá aproximar-se dos 6,6 l/100 km.

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

TOYOTA CAMRY

Hybrid

Motor térmico
Arquitetura 4 cilindros em linha
Capacidade 2487 cc
Alimentação Injeção direta
Distribuição 2 a.c.c./16 v
Potência 178 cv/5700 rpm
Binário 221 Nm/3600-5200 rpm
Motor elétrico
Tipo Hidretos de níquel metálicos
Potência 120 cv
Binário 202 Nm
Bateria -
Capacidade da bateria
Módulo Híbrido
Potência 218 cv
Binário -
Transmissão
Tração Dianteira
Caixa de velocidades Automática, direta, do tipo ECVT
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Duplos triângulos
Travões F/T Discos ventilados
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/11,8 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,885/ 1,840/1,445 m
Distância entre eixos 2,825m
Mala 524 litros
Depósito de combustível 50 litros
Pneus F 235/40 R19
Pneus T 235/40 R19
Peso 1595 kg
Relação peso/potência 7,31 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 180 km/h
Acel. 0-100 km/h 8,3 s
Consumo médio 5,6 l/100 km
Emissões de CO2 126 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 7 anos ou 160.000 km
Pintura/Corrosão 3/12 anos
Intervalos entre revisões 15000 km
Imposto de circulação (IUC) 204,21 €

Medições

TOYOTA

Acelerações
0-50 km/h 3,6 s
0-100 / 130 km/h 8,9 s
0-400 / 0-1000 m 16,7 s
Recuperações
40-80 km/h (D) 3,6 s
60-100 km/h (D) 4,8 s
80-120 km/h (D) 5,5 s
Travagem
100-0/50-0km/h 37/9,2 m
Consumos
Consumo médio 6,6 l/100km
Autonomia 757 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE