Jeep Cherokee

Índio (mais) civilizado...

Apresentação

Por Vítor Mendes da Silva 04-11-2018 08:00

Poucos nomes na história da Jeep são mais icónicos ou suscitam mais emoções que o Cherokee. É um nome que representa 44 anos de história e quase quatro milhões de unidades vendidas em todo o mundo. A quinta geração do Cherokee (KL) começou a ser comercializada na Europa em 2014, sob plataforma 100% nova, desenvolvida em conjunto pela Chrysler e a Fiat. Nesta geração, o Cherokee também procurou imagem mais consensual. Tornou-se automóvel, esteticamente, mais próximo dos SUV modernos. E, não obstante o facto de apresentar linhas suavizadas quando olhamos versões anteriores do ícone do todo-o-terreno, o conjunto manteve presença e personalidade, sem perder elementos como a típica grelha dos Jeep com sete barras verticais, para não descaracterizar a marca. Nesta mais recente atualização, as mesmas diretrizes.

O novo Cherokee, que chegará a Portugal em meados de outubro, pretende responder aos mais altos níveis de segurança, versatilidade e capacidade. Para ter pretensões a ser protagonista no seu segmento, deve estar tão à vontade com as exigências da vida citadina moderna como com as aventuras no terreno, graças às características de funcionalidade e capacidades 4x4, complementadas com a mais recente tecnologia. No Cherokee-2019, disponíveis de série ou em opção, aviso de colisão frontal com travagem de emergência, cruise control adaptativo, alerta de ultrapassagem da faixa de rodagem, monitorização dos ângulos mortos, câmara de marcha-atrás limitador de velocidade máxima, entre outros.

Tudo sem grandes mexidas no desenho exterior do SUV médio.

De ‘cara lavada’

À primeira vista, algumas dificuldades para identificar novidades. Percebe-se que os designers da marca mexeram nos grupos óticos, criando uma nova assinatura luminosa, através da tecnologia de LED, de série, para todas as versões. Os para-choques surgem agora pintados na mesma cor da carroçaria. Atrás, novos farolins, agora também com tecnologia LED, e redesenhada porta da bagageira, que pode contar agora com abertura mãos-livres, acionada passando o pé sob o para-choques para abertura.

No interior, a Jeep também atualizou o desenho da consola central para criar espaço adicional com o alargamento do porta-luvas dianteiro, perfeito para colocar smartphones e outros dispositivos perto da entrada USB integrada, para mais fácil acesso aos serviços conectados.

E nota-se que a Jeep continua a procurar evoluir o Cherokee em domínios desprezados pelas marcas americanas, progredindo na qualidade dos materiais e na montagem. De qualquer modo, apesar do investimento no redesenho do cockpit e no upgrade de alguns revestimentos, ainda há plásticos rijos no interior... Mas já nada que possa comprometer estatuto de automóvel confortável, espaçoso e acolhedor para os seus ocupantes, especialmente para os que viajam no banco traseiro, que pode avançar/recuar sobre calhas para proporcionar o espaço pretendido.

Ainda assim, mais pequeno que concorrentes como Audi Q5 ou BMW X3, e só uns centímetros acima de Nissan Qasqhai ou do primo Compass!... Este renovado modelo da Jeep destaca-se antes pelo grande desafogo da sua bagageira, que ainda foi aumentada até 70 litros, levando a capacidade total de carga até um máximo de 570 litros (438 litros no Compass), e oferecendo prática divisória adicional para arrumar facilmente equipamento para as aventuras de todos os dias. Depois, agrada o comportamento muito equilibrado no asfalto, com nota muito positiva para o conforto de rolamento. O amortecimento brando das suspensões permite evoluir sem sobressaltos por estradas bem asfaltadas, mostrando, também, boa capacidade para filtrar vibrações quando passa por pisos mais degradados.

Na gama ampliada gama de versões do Cherokee, destaque natural para a novidade mais relevante para o mercado nacional: versão 4x2, de apenas duas rodas motrizes, associada a variante menos potente do turbodiesel 2.2 MultiJet II, a debitar 150 cv de potência e 350 Nm de binário. Variante deste motor, com 195 cv e 400 N m, terá opção de duas ou quatro rodas motrizes, com caixa automática de 9 velocidades.

Disponível nos níveis de equipamento Longitude, o Limited e o Overland, o novo Jeep Cherokee chega a Portugal a partir de outubro, com preços desde 52.000 €.

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Apresentação