DS 3 Crossback E-Tense

O escolhido

Apresentação

Por Paulo Sérgio Cardoso 15-03-2020 10:55

A DS está a aproveitar o impulso enquanto marca nova do Grupo PSA para a entrada direta no mundo moderno da eletrificação, apadrinhada por sigla própria, E-Tense, que surge não apenas nos modelos 100% elétricos, como este DS 3 Crossback E-Tense, mas que marca também presença nos híbridos, como no novo DS 7 Crossback E-Tense 4x4.

O DS 3 Crossback apresenta-se não apenas como o primeiro modelo de propulsão totalmente elétrica da DS, mas também como o primeiro crossover premium do segmento B (utilitário) dotado dessa tecnologia de nível zero de emissões poluentes. Possível porque o DS 3 nasce sobre a plataforma CMP, partilhada com Peugeot 208/2008 e Opel Corsa, com arquitetura desde logo pensada para poder alojar quer mecânicas térmicas convencionais, quer conjunto de baterias, em H, sob o piso, em nada roubando espaço ao habitáculo ou mala, onde estão garantidos os mesmos 350 litros da restante gama térmica – valor modesto para o segmento.

O DS 3 Crossback E-Tense conta com pack de baterias de iões de líto de 50 kWh de capacidade (a marca não divulga o valor útil, apenas o total) que aguenta carregamentos rápidos a 100 kW, sendo precisos 30 minutos para reabastecer 80%. Por outro lado, conte-se com 7h30m para carregamento total na wallbox de 7,4 kW, ou 5 h se ligado a 11 kW, tendo a marca apostado forte na eficiência do sistema de refrigeração das baterias para que seja retirada a máxima eficácia dos carregamentos. De série, o DS 3 E-Tense traz dois cabos.

O motor elétrico de 136 cv entrega a potência às rodas dianteiras, e é possível de ser explorado por intermédio de três modos de condução – Eco, Normal e Sport – com a marca francesa a anunciar autonomia máxima na ordem dos 320 km em ciclo WLTP (em modo Eco), ou seja, já segundo condições reais de utilização. O certo é que neste primeiro contacto dinâmico que contou com circulação por percurso misto, quer por ruas da capital francesa, quer pelos arredores de Paris, a nossa unidade DS 3 E-Tense nunca indicou mais de 220 km de alcance com as baterias totalmente cheias, algo que poderia estar relacionado com a baixa temperatura exterior (a rondar os 0º) e ainda por «uma versão de software que não é a final e está ainda a ser alvo de ajustes», segundo o que nos foi explicado pelos engenheiros da marca, ficando a promessa dos 320 km para as unidades a entregar a clientes, nos primeiros meses de 2020 – as encomendas estão já abertas, com preços que vão dos 41.000 € da versão So Chic até aos 45.900 € do Gran Chic, com a possibilidade de somar extras.

Não falta desembaraço em aceleração, em particular se ativado o modo de condução Sport. Mas optámos por circular em Eco a maior parte do tempo, na tentativa de maximizar a autonomia, embora o consumo médio registado nunca tenha baixado de (elevados) 18 kWh/ /100 km, com uma velocidade média de apenas 43 km/h, ou seja, utilização que seria favorável a qualquer elétrico.

O aumento de 300 kg face aos DS 3 térmicos, maioritariamente a cargo da bateria, é facilmente sentido em condução mais apressada, embora todos os movimentos da carroçaria surjam muitíssimo bem controlados, com o DS 3 a fazer-se valer da direção precisa e de um conjunto que nasceu bem equilibrado e capaz de proporcionar ótimos níveis de conforto e qualidade rolante. Porque, na verdade, todos os modelos da nova DS estão a nascer com elevada tónica de refinamento, seja pelo contacto das rodas no alcatrão, seja ainda pela cuidada escolha de materiais que revestem o habitáculo.

O posto de condução, envolto por painel de instrumentos digital multiconfigurável e por monitor central tátil para comando do infoentretenimento, muito ajuda à unicidade da experiência ao volante, com a DS a introduzir menus próprios do sistema de alimentação elétrico, além dos acessos aos diversos serviços (como por exemplo, definição de períodos de carregamento) possíveis de aceder/consultar via smartphone.

O objetivo da marca passa pela eletrificação total ou parcial de todos os modelos da gama, até 2025, atribuindo-lhes a sigla E-Tense. O DS 3 Crossback é o estreante 100% elétrico, partilhando base e tecnologia de propulsão com os Peugeot 208, 2008 e Opel Corsa. Mantém a toada de suavidade inerente às qualidades rolantes da DS, somando o silêncio de utilização. Neste primeiro contacto, a autonomia máxima ficou muito abaixo da anunciada, ponto a melhorar.

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

DS 3

Crossback E-Tense

Motor
Tipo Elétrico, síncrono, íman permanente
Potência 100 kW/136 cv
Binário 260 Nm
Bateria Iões de lítio
Capacidade útil 50 kWh
Tempo de carga (0-80%) 30 minutos
Transmissão
Tração Dianteira
Caixa de velocidades Automática de 1 velocidade
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Eixo de torção c/barra Panhard
Travões F/T Discos ventilados/Discos
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/10,7 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,118/1,791/1,534 m
Distância entre eixos 2,558m
Mala 350 - 1050 litros
Depósito de combustível -
Pneus F 215/60 R17
Pneus T 215/60 R17
Peso 1600 kg
Relação peso/potência 11,7 kg/cv
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 150 km/h
Acel. 0-100 km/h 8,7 s
Consumo médio kWh/100 km
Autonomia 320
Garantias/Manutenção
Mecânica -
Pintura/Corrosão -
Bateria -
Imposto de circulação (IUC) -

Conte-nos a sua opinião 0

Apresentação