Reconhece-o? Este é o (novíssimo) Land Rover Defender

Atualidade

Por Auto Foco 12-09-2019 07:45

A Land Rover, oito anos depois das estreias mundiais do DC100 e do DC100 Sport, dois estudos revelados no IAA de 2011, materializa, finalmente, projeto com muitos anos: o lançamento de geração nova do Defender, o modelo na origem da marca. E é apenas a 2.ª desde a apresentação do carro original, em abril de 1948, no salão de Amesterdão! Depois, o automóvel manteve-se quase sete décadas em produção – mesmo depois da proibição de vendê-lo nos EUA, por incumprimento das normas mínimas de segurança. No Capítulo I da história, ponto final a 29 de janeiro de 2016…

Na 2.ª geração do Defender, a Land Rover não mantém pedra sobre pedra! O desenho de Gerry McGovern anuncia-o. A plataforma é nova (D7x), a fábrica também (Nitra, na Eslováquia)… Agora, em vez de puro e duro, o TT de referência é luxuoso e sofisticado, mas a mudança não significa perda de capacidades para a condução fora de estrada ou a transposição de obstáculos… Pelo contrário, mesmos nestes capítulos, reivindicam-se superprogressos, precisamente devido à adoção de estrutura monobloco em alumínio.

Como habitualmente, duas carroçarias: 90 e 110. Na 1.ª, com 4,323 m de comprimento (4,583 m com a roda de reserva montada no exterior do portão) e 2,587 m de distância entre eixos, somente 3 portas e 5 ou 6 lugares. Na 2.ª, 4,759 m de comprimento (4,518 m), 3,002 m de distância entre eixos, 5 portas e 5, 6 ou 7 lugares. Tecnologicamente, o melhor Defender sempre estreia sistema de informação e entretenimento que permite atualizações sem fios do software (PIVI Pro)

Sem surpresa (afinal, trata-se tão-somente do cumprimento de exigência: o defender é formidável fora de estrada. No 90, dispondo-se de suspensão pneumático – alternativa ao sistema metálico, de série), 30º de ângulo de ataque, 24,2º de ângulo ventral, 37,6º de ângulo de saída, 900 mm de capacidade de vau, 216 mm de altura livre ao solo, 45º de capacidade de declive (ascendente e descendente) e até 45º de inclinação lateral. O Land Rover reboca 3500 kg.

Para mais liberdade de movimentos em ambiente TT, caixa de transferências de duas velocidades, possibilidade de bloqueio do diferencial central, diferencial traseiro ativo e geração nova do Terrain Response, programa que adapta as especificações do automóvel às características da condução e do automóvel (há função automática inteligente que atua de forma autónoma, assim eliminando o risco da falta de experiência de dono do volante). Some-se, ainda, o ClearSight Ground View, função que elimina o capot, virtualmente, para observação da posição das rodas dianteiras no terreno (a imagem, panorâmica, é apresentada no monitor tátil de 10’’ posicionado no centro do painel de bordo).

No lançamento, na primavera de 2020, dois motores a gasolina e dois a gasóleo, caixas automáticas de 8 velocidades e quatro rodas motrizes. No catálogo, variantes com 200 cv e 240 cv do SD4, turbodiesel com 4 cilindros e 2 litros, mais o Si4 (2.0 Turbo, 300 cv) e o i6 (3.0 Turbo, 400 cv). Na mecânica de 6 cilindros, a mais potente, sistema MHEV – assistência elétrica. No final de 2020, híbrido com tecnologia de carregamento externo da bateria (plug-in).

No mercado nacional, encomendas abertas, com o 90 disponível a partir de 80.500 € e o 100 desde 87.344 €, nas versões Defender, S, SE, HSE, Defender X e First Edition, que podem combinar-se com quatro pacotes de acessórios: Explorer, Adventure, Country e Urban. As entregas do 100 iniciar-se-ão na primavera, enquanto o 90 aparecerá apenas no outono.

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Atualidade