«Le Mans não perdoa!»

Automobilismo

Por José Caetano Enviado-especial de A BOLA a França 22-08-2021 10:06

 A organização das 24 Horas de Le Mans, devido ao ritmo da pandemia de Covid-19 em França, adiou a edição 89 da corrida de junho para agosto, mas a mudança não mudou o figurino de competição duríssima! Este ano, pela primeira vez desde 2016, devido ao aparecimento da chuva, a contagem decrescente no relógio iniciada por John Elkann, o presidente da Ferrari - coube-lhe a honra de agitar a bandeira francesa para sinalizar a partida -, fez-se atrás do Safety Car conduzido pela lenda Derek Bell.


O britânico de 79 anos, Grand Marshal da edição-2021 da corrida que venceu em 1975, 1981, 1982, 1986 e 1987, esteve em pista mais tempo do que o previsto, por ordem do diretor de prova, o português Eduardo Freitas, realizando três voltas, em vez de apenas uma, à frente dos 61 carros em competição.


Finalmente, após três voltas (ou 40,878 km) de aquecimento, bandeira verde! Na curva 1, primeiro incidente, com o Glickenhaus 007 n.º 708 de Olivier Pla a colidir com o Toyota GR010 Hybrid n.º 7 de Mike Comway, que arrancara da pole position. Os dois hipercarros continuaram em prova, mas Sébastien Buemi, no GR010 Hybrid n.º 8, ganhou o comando. Atrás, mão cheia de saídas de pista, com ou sem toques. Entre as vítimas do início de corrida caótico, o Porsche 911 RSR-19 n.º 72 de Álvaro Parente - tinha o francês Maxime Martin ao volante e baixou de 1.º para 6.º, entre seis concorrentes em LMGTE Pro.




 

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Automobilismo