Audi Q8

Nova face dos anéis

Apresentação

Por Ricardo Jorge Costa 07-09-2018 15:54

O Audi Q8 traz uma revolução ao estilo da marca alemã, replicando as linhas mestras do desenho do concept com o mesmo nome que o antecipou no Salão de Detroit de 2017. O novo concorrente direto de BMW X6, Mercedes-Benz GLE Coupé e Range Rover Velar exibe o porte avantajado, a generosa elevação ao solo e a silhueta curvilínea da secção posterior da carroçaria que caracterizam as formas destes denominados SUV coupés topo de gama. Com praticamente cinco metros de comprimento (4,986 metros), o Q8 é 6,6 cm mais curto, 3 cm mais baixo (1,705 m) e 2 cm mais largo (1,995 m) do que o Q7, dimensões que conferem uma superior compacidade ao novo automóvel, comparativamente àquele seu semelhante. Mas não é só. O desenho da secção dianteira é inédito, incluindo na marca – embora aludindo para o do SUV mais recente, o compacto Q2 –, com a denominada grelha singleframe, segundo o seu criador, a Audi, “reinterpretada para o século XXI”. Ainda maior e mais proeminente, com uma moldura mais larga e uma grelha (não apenas as barras verticais) mais impactante. O formato das óticas (luzes LED de série e HD matrix LED opcional) e do para-choques também são distintos de tudo o que se vira em veículos de produção em série da Audi.

As estreias estilísticas prolongam-se para a secção posterior da carroçaria, com os farolins afilados e unidos por uma faixa também iluminada, a reportar (palavra do fabricante, mas que se reconhece) ao célebre desportivo Audi Quattro.

Interior

Os quase três metros de distância entre eixos tornam previsível uma habitabilidade referencial – a Audi anuncia-o com o SUV mais espaçoso do segmento, apesar da linha do tejadilho que desce mais acentuadamente sobre os lugares posteriores, evocando o dinamismo de coupé. Não foram anunciadas medidas de cotas interiores, mas AUTO FOCO já esteve a bordo do SUV e admite razão ao otimismo.

O Q8 oferece também uma bagageira ampla, com capacidade entre 605 litros (configuração convencional, com cinco lugares) e 1755 litros (com todos os bancos posteriores rebatidos). Para dar ideia do espaço, o fabricante diz que se pode colocar dois sacos de golfe na transversal. De série, a porta deste compartimento tem acionamento elétrico.

O design futurista do exterior do SUV é replicado no habitáculo, onde o ambiente é luxuoso, requintado e tecnologicamente sofisticado, reproduzindo o desenho, a qualidade de construção e o equipamento de vanguarda dos modelos mais recentes da Audi, A8 e A6. A saber, o novo sistema MMI (controlo centralizado do infoentretenimento e climatização) composto por dois ecrãs digitais táteis para comando das diversas funcionalidades de bordo do veículo, ao que se acrescenta o conhecido painel de instrumentos também totalmente digital Audi Virtual Cockpit e um novo head-up display.

Dinâmica

A Audi promete que o Q8 terá um «comportamento extraordinariamente preciso», graças à sua plataforma evoluída e abundante em metais leves e de alta resistência. A estrutura Audi Space Frame utiliza cerca de 15% de alumínio e 14,4% de aços de alta resistência, o que contribui para que o SUV, de dimensões avantajadas, pese 2145 kg (na versão com motor 3.0 V6 TDI). O fabricante de Ingolstadt refere ainda apuro da aerodinâmica do seu novo automóvel (0,34 Cd).

Também na tecnologia de promoção da dinâmica, o novo SUV colhe muitas das tecnologias estreadas na berlina A8 e de outros modelos topo de gama do Grupo VW. Mão cheia de sistemas que melhoram a agilidade e o conforto, nomeadamente barras estabilizadoras ativas alimentadas por sistema elétrico de 48V, suspensão pneumática com amortecimento variável e quatro rodas direcionais.

Na gama de motorizações estarão os mais sofisticados e potentes blocos a gasolina, gasóleo e híbridos do banco de órgãos da Audi. Destaque para o 3.0 V6 TDI que se recorre de tecnologia semi-híbrida, através de sistema elétrico de 48 volts, bateria de iões de lítio e alternador de correia que serve de motor de arranque. Este dispositivo permite que o SUV circule com o motor desligado a velocidades entre 50 e 160 km/h e recupere até 12 kW de energia nas desacelerações, com benefícios ao consumo de combustível.

No lançamento, 3.0 V6 TDI (versão 50 TDI) debita 286 cv e 600 Nm (com caixa automática Tiptronic de 8 velocidades e o sistema de tração integral quattro de série), acelerando de 0 a 100 km/h em apenas 6,3 segundos e atingindo velocidade máxima de 232 km/h e 3.0 a gasolina de 340 cv (55 TFSI).

Entretanto, nos primeiros meses de 2019, o Q8 receberá a versão menos potente deste bloco Diesel de 3 litros, com 231 cv.

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Apresentação