Peugeot 508 1.5 BlueHDi

Generalista ‘premium’

Apresentação

Por Ricardo Jorge Costa 17-09-2018 14:39

A Peugeot tem ambições redobradas para a segunda geração do 508, modelo de segmento D estreado em 2011 e comercializado nas variantes de berlina de quatro portas e carrinha (SW). A partir de novembro, a primeira cederá o lugar a novíssima berlina de cinco portas com design desportivo de coupé, do tipo fastback, precisamente a denominação que lhe atribui o fabricante, motivo principal da sua pretensão de contestar o declínio deste tipo de automóveis, em favor das carrinhas análogas. A Peugeot não quer esperar dois meses pelo SW para brilhar.

Mas não é o único motivo. O novo 508 tem o interior totalmente modernizado, desde logo na imagem, em harmonia com a inspiração desportiva do exterior, e nas mais recentes soluções tecnológicas e de ergonomia da marca do leão, com destaque para o famigerado e ainda não consensual i-Cockpit, caracterizado pelo volante compacto com painel de instrumentos cimeiro estreado no 208 e que se dissemina na gama. Atualização profunda do habitáculo que se estende à sua qualidade de construção, com melhores materiais e mais rigor na montagem e acabamentos, mantendo os níveis de habitabilidade e a volumetria da bagageira, apesar da redução significativa das dimensões exteriores do automóvel, nas medidas de comprimento (menos 8 cm) e de altura (6 cm, em parte promovido pela eliminação das molduras das portas, outro elemento de design desportivo). O único acrescento às cotas da carroçaria são 2 cm de largura que conferem à berlina, no seu conjunto, um visual dinâmico, de estar colado à estrada.

A plataforma do novo 508 é a modular EMP2, com distância entre eixos inferior (2,4 cm) à da que substitui, o que ajuda a justificar o encurtamento do comprimento do veículo (que também resulta de um corte nas projeções da carroçaria) e a diminuição do diâmetro de viragem, para mais manobráveis 10,4 metros, menos 1,5 m do que o do antecessor. Para que a redução da distância entre eixos não pudesse constranger o espaço para pernas no banco de trás, os encostos dos lugares dianteiros foram redesenhados e estreitados. A habitabilidade é boa, apesar de os bancos posteriores estarem numa posição mais baixa do que é habitual em berlinas deste segmento, em consequência do rebaixamento do tejadilho. Todavia, para passageiros de 1,80 metros de altura não há restrições à comodidade.

A capacidade da bagageira é ligeiramente maior do que a do 508 anterior, beneficiando sobremaneira da nova configuração do compartimento, muito mais amplo e com melhor acesso, oferecendo 487 litros (anteriormente 473) expansíveis até 1537 litros com as costas dos bancos traseiros (com partição assimétrica) totalmente rebatidas.

O painel de bordo é uma inovação no segmento, pela adoção do exclusivo (e já descrito) i-Cockpit, e não apenas pelos principais elementos que o definem (volante e instrumentação totalmente digital, de série em qualquer nível de equipamento, num ecrã de 12,3’’), também pelo design vanguardista da consola, que se prolonga desde o topo do tablier (onde está instalado o monitor tátil de 8” ou 10” e de alta resolução a partir do nível de equipamento Allure, intermédio) até entre os bancos, marcada pela pureza das linhas, a inspiração desportiva e a escolha exigente de materiais, e de que destacamos os botões metalizados em alinhamento do tipo piano. O requinte dos acabamentos e a sofisticação tecnológica dos interiores projetam o novo 508 para o limiar da esfera das marcas premium do segmento.

E o comportamento dinâmico não fica atrás. A suspensão traseira independente multibraços, com amortecimento variável (em três modos: Normal, Conforto e Sport) de série na versão GT e nos motores gasolina e opcional nos Diesel de 2 litros, e uma parafernália de sistemas de assistência à condução (igualmente de série ou disponíveis) contribuem para compromisso exímio entre eficácia, agilidade e conforto, atribuindo à nova berlina uma declinação desportiva sem prejuízo à comodidade.

A eleição da motorização ajuda a definir essas apetências. A gama de motores é composta por duas unidades a gasolina de 1,6 litros (PureTech) com 180 ou 225 cv e três Diesel (BlueHDi), de 1,5 litros de 130 cv (em substituição do 1,6 de 120 cv) e de 2 litros com 160 cv (anteriormente 150) e de 180 cv, todos com caixa automática de 8 velocidades (EAT8), ou manual de 6 velocidades apenas para o 1.5 BlueHDi.

Foi com esta motorização, que será, segundo a Peugeot, a mais comercializada em Portugal, com a muito boa transmissão automática EAT8, que conduzimos o novo 508 na apresentação internacional. Apesar de ser a menos potente do catálogo, não menoriza a inspiração desportiva do automóvel, disponibilizando-se sempre a corresponder a preceito às pressões no acelerador, e desde os mais baixos regimes. De qualquer modo, é na relação entre prestações e consumo que mais impressiona, beneficiando da frugalidade deste último, que pode ficar-se pelos 5 l/100 km sem grande zelo pela economia na condução.

No resto, os consumos homologados para a gama do novo 508 correspondem à nova normativa WLTP, e por isso são muito mais próximos dos que se registam na condução quotidiana na estrada.

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

PEUGEOT 508

1.5 BLUEHDI 130

Motor
Arquitetura 4 cilindros em linha
Capacidade 1499 cc
Alimentação Injeção direta CR, TGV, Intercooler
Distribuição 2 a.c.c./16v
Potência 130 cv/3750 rpm
Binário 300 Nm/1750 rpm
Transmissão
Tração Dianteira
Caixa de velocidades Automática de 6 velocidades
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Eixo multibraços
Travões F/T Discos ventilados/Discos
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/10.4 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,750/1,847/1,404 m
Distância entre eixos 2,793m
Mala 487-1537 litros
Depósito de combustível 62 litros
Pneus F 215/60 R16
Pneus T 215/60 R16
Peso 1415 kg
Relação peso/potência -
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 210 km/h
Acel. 0-100 km/h 9,7 s
Consumo médio 3,8 l/100 km
Emissões de CO2 101 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica -
Pintura/Corrosão -
Intervalos entre revisões -
Imposto de circulação (IUC) -

Conte-nos a sua opinião 0

Apresentação