Audi Q3 Sportback

Impunha-se!

Apresentação

Por José Caetano 24-11-2019 17:45

A Audi capitalizou muito bem o crescimento da procura dos Sport Utility Vehicles (SUV) – o filão de ouro da indústria automóvel esgotar-se-á, naturalmente, mas o tempo é de produzir mais, não menos… A marca dos quatro anéis antecipou a entrada na categoria dos compactos em 2007, com o Cross Coupé quattro. Em 2011, apresentação do Q3. O automóvel apareceu depois do BMW X1 (2009) e antes do Mercedes-Benz GLA (2013)! Durante a carreira da 1.ª geração, que terminou somente o ano passado, venderam-se cerca de 1,1 milhões de exemplares.

Em 2018, reagindo ao aumento incrível da concorrência no segmento da moda, estreia da 2.ª geração e anúncio de novidade(s) na gama em 2019. Promessa cumprida, com o Q3 Crossback, que satisfaz as exigências dos adeptos do formato que são fãs, também, de carros com imagens expressivas (leia-se emocionais), que associam as características dinâmicas desportivas, como os coupés. Na prática, Audi atrás do mesmo objetivo que a BMW persegue com o X2 (2017), precisamente o alvo do automóvel que teve estreia mundial no salão de Frankfurt (IAA), na Alemanha.

O Q3 Sportback tem a mesma arquitetura do Q3 – e demais compactos do Grupo VW, incluindo o Tiguan: a plataforma MQB. Trata-se de estrutura moderna e preparada q.b. para a eletrificação do automóvel. Mas, nas dimensões exteriores, algumas diferenças, por imposição do desenho específico da variante nova. Assim, mesmo parecendo mais pequeno, automóvel maior em comprimento (13 mm, com 4,500 m). A distância entre eixos mantém-se (2,680 m). Já altura e largura diminuem, respetivamente, 29 e 6 mm. Curiosamente, estas mudanças não influenciam as cotas de habitabilidade, devido ao reposicionamento dos bancos, nem a capacidade da mala: 530 a 1400 litros. O volume máximo obtém-se através do rebatimento individual dos encostos dos bancos de trás, que admitem até 130 mm de regulação longitudinal. Entre os muitos opcionais, portão com comando elétrico.

Tecnicamente, o Q3 Sportback é gémeo do Q3… No entanto, para certeza de dinâmica mais desportiva, até as versões básicas da gama têm direção exclusiva, muito direta. A promessa é de condução ágil e precisa. Entre os extras, suspensão com amortecimento variável e rodas até 20’’. O sistema dynamic select permite a seleção de seis modos de ação, do comfort ao dynamic, do efficiency ao offroad, que mudam os funcionamentos de motor, transmissão, etc. No programa para condução fora de estrada, o controlo de estabilidade adapta as características do de tração, preparando-o para a condução em pisos com menos aderência. Também opcionalmente, hill descent control, o programa para transposição (fácil) de declives com mais de 6º (mantém a velocidade até 21 km/h e atua nos travões de forma 100% automática). De série ou entre os extras, duas mãos cheias de assistências eletrónicas à condução.

No lançamento do Q3 Sportback, três mecânicas. Na gama a gasolina, 2.0 TFSI com 230 cv (45 TFSI), motor disponível apenas em combinação com caixa automática s tronic de 7 velocidades, de embraiagem dupla, e tração integral (quattro). Na Diesel, dois 2.0 TDI (150 cv e 190 cv). No 35 TDI, de série, caixa manual de 6 velocidades e tração dianteira. No 40 TDI, sistemas s tronic e quattro.

Posteriormente, mas antes do aparecimento das versões S e RS, as mais desportivas do catálogo, introdução do 35 TFSI, com motor de 1,5 litros a gasolina que associa injeção direta a turbo e dois sistemas que privilegiam a redução dos consumos e das emissões poluentes: desativação de cilindros e tecnologia mild-hybrid (MHEV). Na 2.ª, disponível apenas em combinação com a S tronic, motor elétrico, atuando como gerador, é capaz de recuperar até 12 kW nas fases de desaceleração e travagem. A energia armazenada em bateria de iões de lítio, nas acelerações, apoia o motor a gasolina e, conduzindo-se a velocidade estabilizada, entre 40 e 160 km/h, desacopla a transmissão e permite que o carro circule à vela, mais livremente e sem esforço. Complementarmente, melhora a capacidade do start-stop: ativa-o aos 21 km/h ficando ligado enquanto mantemos o pedal do travão pressionado e não regressamos ao do acelerador. Assim, anuncia-o a Audi, aumenta-se o conforto na condução e poupa-se até 0,4 l/100 km. Grão a grão… 

Reagindo ao crescimento na procura do formato SUV, razão por trás do sucesso do Q3, a Audi desenvolveu variante nova do compacto. O Sportback tem imagem e orientação desportivas (chassis específico, com amortecimento mais firme e direção mais direta, e Audi drive select de série, programa para seleção de diversos modos de condução). Os preços conhecer-se-ão só nas vésperas do lançamento, no outono, mas este compacto será mais caro do que o modelo de que deriva. Entre os concorrentes, X2, Evoque, GLB e E-Pace.

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Apresentação