Conduzir um híbrido não se resume a guiá-lo... Sugere que se intervenha, igualmente, no funcionamento do módulo combustão-elétrico para otimização da eficiência, o que torna a experiência ao volante mais interessante Qualidade de construção entre os pontos positivos Monovolume compacto com tecnologia híbrida Plug-In Bloco de 3 cilindros à frente e motor elétrico atrás Na atualização, equipamento muito beneficiado, de forma a aproximar o monovolume compactos dos demais BMW Sistema de gestão da energia com programas Auto eDRIVE, Max eDRIVE e SAVE BATTERY (ativam-se no comando eDRIVE) No compacto ‘eletrificado’, 2,3-2,5 l/100 km de consumo médio, 52-57 g/km de CO2, valores de homologação em ‘laboratório’... No híbrido com carregamento externo da bateria, botão de experiência de condução para seleção dos programas Sport, Comfort e Eco Pro Motor elétrico sob a mala retira 68 litros à capacidade do compartimento de carga, na configuração normal de cinco lugares (400 litros) Recarga total da bateria demora 3h15, realizando-a numa tomada de rede doméstica; numa Wallbox, 2h15 Posição de condução corretíssima, como é habitual nos modelos da marca alemã. Já na secção posterior, a bateria de iões de lítio ‘eleva’ a posição dos bancos (3 cm, na comparação com os Série 2 Active Tourer equipados com motores térmicos Associação de motor a gasolina de injeção direta e turbo com 136 cv e motor elétrico síncrono de 88 cv (65 kW) gera uma potência combinada de 224 cv

BMW 225Xe Active Tourer

Casamento feliz

TESTE

Por Vítor Mendes da Silva 05-01-2020 21:00

Fotos: Gonçalo Martins

Visualmente, o novo Série 2 Active Tourer diferencia-se do modelo original (lançado no outono de 2014, baseado na plataforma UKL de tração às rodas dianteiras introduzida pelo consórcio alemão nesse ano), por apresentar, no rosto, grelha e entrada de ar de maiores dimensões. No facelift de meio de ciclo, o equipamento também foi muito beneficiado, principalmente no campo das assistências eletrónicas à condução, de forma a aproximar os monovolumes compactos dos demais modelos da BMW. Depois, no fundamental, o familiar bávaro manteve intactas todas as características que explicam o êxito da fórmula, como a combinação das dimensões exteriores compactas com a amplitude do habitáculo e do compartimento de carga.

No Active Tourer, com 4,354 m de comprimentos e 2,670 m entre eixos, a bagageira tem 468 a 1510 litros, menos neste 225xe, que devido ao posicionamento da bateria do sistema híbrido plug-in, apresenta volume máximo de 1350 litros, após o rebatimento dos encostos posteriores. Funcionalidade q.b. para resolver as necessidades de transporte de uma jovem família, com a boa noticia de o conseguir sem prejuízo das características tradicionais nos BMW, principalmente ao nível da dinâmica, com qualidades acima da média.

Na versão eletrificada, 3 cilindros 1.5 TwinPower Turbo (136 cv), com motor elétrico (88 cv), caixa automática de 6 velocidade e bateria de iões de lítio com 7,6 kWh de capacidade. Quando se solicita a potência máxima do módulo híbrido, as duas unidades propulsoras juntam esforços (desde que haja carga para alimentar o motor elétrico…) e um rendimento associado de 224 cv e 385 Nm garante força e elasticidade mais do que suficiente para todas as exigências, incluindo as que se traduzem da aceleração 0-100 km/h em tão-somente 6,7 segundos. Nos restantes quilómetros de condução quotidiana, poderá haver partilha de esforços rentre o motor a gasolina, de três cilindros e 1,5 litros, e a unidade elétrica que fará o consumo médio de combustível rondar os 3 litros por 100 km. Ou na versão mais gastadora do módulo, com preponderância máxima do bloco térmico nessa associação, entre 6 e 7 l/100 km.

O elemento de comando do sistema eDrive (híbrido da BMW) encontra-se na consola central e possibilita a ativação de três modos de condução, Auto eDrive, Max eDrive e Save Batery, que se acrescentam a outros tantos do programa Experiência de Condução, dispositivo transversal aos modelos com motor de combustão do construtor bávaro: Sport, Comfort e Eco Pro. É sobre os primeiros (do eDrive) que recai a gestão do módulo híbrido que associa o motor a gasolina de injeção direta e turbo com 136 cv que movimenta o eixo dianteiro e o motor elétrico de 88 cv, em posição posterior, que aciona as rodas traseiras. Depois, cereja no topo do bolo, estão garantidos apenas com motor elétrico cerca de 40 km.

O veículo arranca sempre em modo elétrico, e com a função Auto eDrive ligada, o que significa que a eletrónica encarrega-se de gerir os fluxos energéticos de acionamento dos dois eixos. Se a bateria de iões de lítio (debaixo do banco posterior, elevando-o 30 mm em comparação com as versões não híbridas do Active Tourer) estiver completamente carregada (operação que demora 3:15 horas numa tomada de rede elétrica convencional ou menos uma hora com o opcional quadro elétrico Wallbox da BMW) o veículo pode rodar exclusivamente a eletricidade a velocidades até 80 km.

A vocação ecológica do monovolume otimiza-se em trajetos urbanos, em que maximiza a eletrificação e onde é superior a regeneração da energia cinética das travagens e desacelerações para recarregar a bateria, uma das duas maneiras de o fazer, sendo a outra por ação do motor térmico. Mesmo quando a sua carga é inferior a 7% continua-se a circular em regime ambientalista até 55 km/h e com acelerações muito suaves. Ao invés, desde que abunde a carga na bateria é possível rodar-se elétrico, à vontade, à velocidade máxima permitida em autoestrada (até ligeiramente acima, 125 km/h), bastando selecionar-se a função Max eDrive.

Com condução muito idêntica à de qualquer outro Série 2 Active Tourer, o híbrido de última geração, além da vantagem da tração 4x4, acrescenta e inteligência prática do módulo que associa o motor a gasolina e o elétrico, para servir o melhor de dois mundos. Principalmente a quem não fizer mais do que 50-60 quilómetros por dia, pois aproveitará todas as potencialidades da hibridação, que permite a propulsão exclusivamente elétrica por quase todo esse trajeto.

Ler Mais

Ficha Técnica

Caracteristicas

BMW Série 2

225Xe Active Tourer

Motor térmico
Arquitetura 3 cilindros em linha
Capacidade 1499 cc
Alimentação Inj. direta, Turbo, Intercooler
Distribuição 2 a.c.c./16 v
Potência 136 cv/4400 rpm
Binário 220 Nm/1250-4300 rpm
Motor elétrico
Tipo -
Potência 88 cv/4000 rpm
Binário 165 Nm/3000 rpm
Bateria Iões de lítio
Capacidade da bateria 7,6 kWh
Módulo Híbrido
Potência 224 cv
Binário 385 Nm
Transmissão
Tração Integral
Caixa de velocidades Automática de 6 velocidades
Chassis
Suspensão F Ind. McPherson
Suspensão T Ind. Multibraços
Travões F/T Discos ventilados
Direção/Diâmetro de viragem Elétrica/11,3 m
Dimensões e Capacidades
Compr./Largura/Altura 4,342/1,800/1,556 m
Distância entre eixos 2,67m
Mala 502 litros
Depósito de combustível 36 litros
Pneus F 7,5jx17-205/55 R17
Pneus T 7,5jx17-205/55 R17
Peso 1735 kg
Relação peso/potência -
Prestações e consumos oficiais
Vel. máxima 202 km/h
Acel. 0-100 km/h 6,7 s
Consumo médio 1,7 l/100 km
Emissões de CO2 42 g/km
Garantias/Manutenção
Mecânica 2 anos sem limite de km
Pintura/Corrosão 3/12 anos
Intervalos entre revisões 15000 km
Imposto de circulação (IUC) 131,4 €

Medições

BMW

Acelerações
0-50 km/h 2,4 s
0-100 / 130 km/h 7 s
0-400 / 0-1000 m 11,7/27,6 s
Recuperações
40-80 km/h (D) s
60-100 km/h (D) 4,1 s
80-120 km/h (D) 4,9 s
Travagem
100-0/50-0km/h 34,8/8,8 m
Consumos
Consumo médio 3 l/100km
Autonomia 550 km

Conte-nos a sua opinião 0

TESTE