Porsche Cayenne Coupé

Pãozinho quente

Apresentação

Por Ricardo Jorge Costa 25-07-2019 14:00

Quando a Porsche revelou o Cayenne em 2002, os puristas consideraram que seria uma estratégia errada do fabricante alemão celebrizado pelos automóveis desportivos. Dezassete anos depois, o SUV está na sua terceira geração de uma carreira de sucesso e a Porsche melhor do que nunca.

Pode-se dizer que a marca previu que os SUV eram o caminho do êxito para o lucro, e atualmente não pretende negligenciar a presença em todos os subsegmentos e derivativos desta categoria em incessante expansão, ampliando a gama Cayenne com uma nova variante, o Cayenne Coupé.

O design do novo modelo distingue-se essencialmente pela secção traseira, mais fluída, em estilo de SUV coupé que está em voga e a disponibilidade de escolher entre dois tejadilhos diferentes: de série, teto panorâmico em vidro (com área total de 2,16 m2 e envidraçada de 0,92 m2, dispondo de uma cortina retrátil para proteção solar) e em opção, de carbono.

Este último, mais exclusivo, está disponível num dos três pacotes desportivos opcionais, que incluem os recursos do Sport Design e as novas rodas GT Design de 22 polegadas com peso reduzido, centros dos assentos em tecido xadrez clássico, além de detalhes em carbono e Alcantara nos revestimentos do interior. Para o Cayenne Turbo Coupé, o pacote também inclui um sistema de escape desportivo.

O para-brisas e o pilar A do Cayenne Coupé são mais inclinados do que no Cayenne, confluindo no tejadilho cerca de 20 milímetros mais abaixo do que neste modelo em comercialização, contrapondo-se à linha de cintura da carroçaria, que se eleva e se alarga 18 mm ao nível dos ombros. A placa de matrícula traseira está mais (e melhor) integrada no para-choques.

A estas especificidades de estilo, o Cayenne Coupé acrescenta outra em prol da aerodinâmica: um spoiler adaptativo, semelhante ao do Cayenne Turbo, que se ergue (alongando-se) automaticamente 135 mm a partir dos 90 km/h, para aumentar a força descendente (downforce) sobre o eixo posterior.

O novo Cayenne Coupé tem lotação de quatro pessoas. À frente, novos bancos desportivos com regulação elétrica de oito vias e apoios de cabeça integrados. Atrás, de série, banco com dois lugares individuais. Em alternativa, a Porsche permite instalar banco traseiro convencional sem custo adicional.

Aqui, no Cayenne Coupé os passageiros sentam-se 30 mm abaixo do que no Cayenne normal, o que permite compensar o rebaixamento do teto pela silhueta desportiva (coupé) da carroçaria. A capacidade de carga é de 625 litros e sobe para 1540 litros quando os assentos traseiros são rebatidos (no Cayenne Turbo Coupé: 600 a 1510 litros).

Motores de 340 cv e 550 cv

Dois motores estão disponíveis no lançamento. Bloco de seis cilindros (V6) de três litros turbo, de 340 cv e 450 Nm, que permite ao Cayenne Coupé acelerar de 0-100 km/h em 6 segundos (descendo para 5,9 segundos com os pacotes desportivos opcionais) e atingir velocidade máxima de 243 km/h; e para o Cayenne Turbo Coupé, no topo da gama, V8 de quatro litros e duplo turbo, debitando 550 cv e 770 Nm. Este confere ao novo SUV uma aceleração 0-100 km/h em 3,9 segundos e velocidade máxima de 286 km/h.

Em Portugal, os preços começam em 120.794 euros para o Cayenne Coupé e nos 201.238 euros para o Cayenne Turbo Coupé.

O equipamento de série inclui direção Power Steering Plus (com o nível de assistência adaptado à velocidade do veículo), jantes de liga leve de 20 polegadas, sistema de auxílio ao estacionamento (Park Assist) na dianteira e traseira, incluindo câmara de marcha-atrás, suspensão ativa com regulação eletrónica do amortecimento (Porsche Active Suspension Management - PASM) e o pacote Sport Chrono, com as suas funções que possibilitam uma afinação ainda mais desportiva do chassis, do motor e da transmissão.

A lista de opcionais é previsivelmente bastante (mais) recheada.

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Apresentação