Chinesa Lynk & Co escolhe Amsterdão para estreia europeia por motivo controverso

Atualidade

Por Auto Foco 04-10-2019 18:32

O construtor chinês Lynk & Co escolheu Amsterdão para primeira cidade em que comercializará os seus veículos na Europa, com início previsto para o final de 2020, por um motivo, no mínimo, controverso.

De acordo com Alain Visser, presidente da marca que é propriedade do gigante chinês Geely, a sua escolha da capital holandesa explica-se “em parte devido à reputação dos seus habitantes de não gostarem de automóveis”.

"Amsterdão é uma cidade com reputação de não gostar de carros", afirmou Visser, citado pela revista Autocar. "Acreditamos que, se começarmos por lá, podemos demonstrar a adequação dos nossos carros às maiores exigências dos tempos modernos. Assim, quando passarmos a outras cidades europeias, já teremos uma ótima experiência de marketing para colocar em prática", explicou o líder da Lynk & Co.

O primeiro modelo desta marca chinesa na Europa será o 01, SUV compacto híbrido plug-in, e que o fabricante pretende vender a um preço próximo ao de modelos comparáveis da VW, embora o seu modelo de negócios passe acima de tudo pela subscrição.

A empresa oferecerá aos clientes a possibilidade de utilizar os seus veículos durante apenas um mês, sem mais encargos. Todavia, Visser admite que não tem certeza sobre qual será a proporção dos seus futuros clientes que optará pela subscrição do veículo.

O modelo de aquisição do veículo por contrato de assinatura não é novo, outros fabricantes já os oferecem há algum tempo, mas Visser diz que parecem locações convencionais disfarçadas. “As ofertas da Lynk & Co serão preferencialmente como as do Spotify, mas também venderemos CD’s".

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Atualidade