Golf: o início do fim de um reinado

O ano passado, pela 1.ª vez, o compacto não foi o automóvel mais vendido pela Volkswagen!

Opinião

Por José Caetano 29-02-2020 14:05

A análise (muito atual) é da edição europeia da publicação Automotive News e alerta para o início do fim do reinado do Golf. O automóvel introduzido em 1974 mantém o título de carro mais bem-sucedido no mercado europeu! Atualmente, a VW prepara-se para o lançamento da 8.ª geração do compacto, realizando-o (quase) em simultâneo com a introdução do ID. 3, modelo com dimensões semelhantes fundamental para o êxito do plano de eletrificação do maior fabricante mundial. Muito ambicioso, este programa sustenta-se em investimento multimilionário. Assim, exige-se-lhe sucesso à medida, para fôlego financeiro que elimine todas as nuvens negras na linha do horizonte (só no desenvolvimento da plataforma MEB, mais de 6000 milhões de euros!).


Curiosamente, a empresa confrontou-se com episódio semelhante há 45 anos, nas vésperas do lançamento do Golf I, o substituto do Beetle na origem da história de sucesso da marca alemã. A empreitada garantiu décadas de prosperidade que permitiu a construção de um império. No entanto, todas as histórias têm um início e um fim. O ano passado, pela 1.ª vez em muitos anos, o compacto não foi o automóvel mais vendido pela companhia de Wolfsburgo. É verdade: em 2019, no mapa-múndi do fabricante, Tiguan na 1.ª posição, consequência natural do sucesso do Sport Utility Vehicle (SUV), principalmente na América do Norte e Ásia… Esta tendência acentuar-se-á durante os próximos anos, com a concentração da produção do Golf na Alemanha e China, enquanto os planos para o Tiguan prevêem uma expansão tanto do número de linhas como dos locais de montagem.


A VW, simbolicamente, anuncia a importância excecional do primeiro elétrico da família ID no nome de batismo do modelo. Fá-lo com o «três»... O compacto novo é o terceiro automóvel mais importante na história da empresa, depois de Bettle e… Golf! Venderam-se mais de 21 milhões de exemplares do primeiro e, do segundo, a marca soma mais de 35 milhões. Mais, só Toyota Corolla (45 milhões) e Ford F Series (40 milhões)!


Os números ilustram o peso do Golf, maior na Europa do que no resto do Planeta… O ano passado, no Velho Continente, entregaram-se 410.779 exemplares, registo acima do total de matrículas conseguido por Nissan (390.809), Volvo (339.696), Suzuki (259.876) ou Mazda (251.308). Na geração nova, para preservação dos níveis de produção, elevadíssimos, privilegiaram-se tanto a digitalização como a eletrificação. Os alemães, astutos, aderem às tendências de moda, para passagem de testemunho tranquila, condição para manutenção da solidez dos alicerces construídos em 1937, ano da fundação da marca.

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Opinião