A crónica de uma morte anunciada

Cancelamento da edição 90 do salão de Genebra abre caminho ao fim das exposições

Opinião

Por José Caetano 14-03-2020 10:05

AUTO FOCO completa 20 anos neste mês de março… Em 2000, na véspera da publicação da edição zero, distribuída com o diário A BOLA, preciosamente para prepararmos o futuro, visitámos o salão de Genebra. À época, os pavilhões da Palexpo eram pequenos, muito pequenos!, para tantos expositores, as conferências de Imprensa apresentavam-se sobrepostas, as novidades multiplicavam-se, a indústria vivia período excitante. Duas décadas depois, nuvens negras na linha do horizonte!

A decisão de cancelamento compreende-se facilmente, considerando os indivíduos infetados ou os mortos em todo o Mundo pelo coronavírus. As autoridades helvéticas, preventivamente, proibiram a organização de eventos com mais de 1000 pessoas debaixo do mesmo teto, assim impediram, também, a organização da edição 90 do Salão Internacional do Automóvel, de Genebra. Fizeram-no apenas três dias antes da abertura de portas, com os pavilhões da Palexpo preparados para receberem as centenas de milhares de visitantes da maior exposição de 2020. 

O anúncio do cancelamento não surpreendeu. O COVID-19 alastra pela Europa, rapidamente, sem fronteiras. O estado de ansiedade é coletivo, pelo desconhecimento da doença. Portanto, privilegiando-se a prevenção e a proteção da saúde pública, através da limitação dos contatos sociais, ação em vez de reação. Para a indústria automóvel (mais) más notícias… As exposições impõem investimentos impossíveis de recuperar, precisamente a razão por trás do declínio de eventos que são acontecimentos tão antigos como a indústria.

Em Genebra-2020, previamente, muitos emblemas de referência fora de combate: Citroën, Ford, Jaguar, Land Rover, Lamborghini, Mitsubishi, Nissan, Mini, Opel, Peugeot e Volvo falhavam o salão. O problema agrava-se de ano para ano e exposição após exposição. O ano passado, o certame helvético recebeu mais de 600.000 visitantes, mas estes números não impressionam marcas confrontadas com a emergência da eletrificação do automóvel para hipótese de cumprimento das normas antipoluição na Europa. Uma missão (quase) impossível... Em 2019, pelo terceiro ano consecutivo, registo de aumento nas emissões de CO2, para média de 121,8 g/km, de acordo com o protocolo antigo (NEDC) – utilizando- se o WLTP novo, números piores! É o valor mais alto desde 2014. Em 2021, multas de muitos milhões de euros para todos os construtores acima de 95 gramas...

Paralelamente, cada vez mais empresas privilegiam eventos próprios, muito mais direcionados para clientes que têm tanto de proteger como de mimar! Por isso o NAIAS (Detroit, EUA) mudou de data, o IAA (Alemanha) muda-se de Frankfurt para Munique e o Mondial de l’Automobile (Paris) luta contra cidade que marginaliza os automóveis. A epidemia do coronavírus também obrigou Pequim a cancelar salão em abril.

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Opinião