Honda Civic e:HEV

Numa onda… diferente

Apresentação

Por Paulo Sérgio Cardoso 21-01-2023 07:00

À 11. ª geração, o Honda Civic estreia-se no formato coupé de cinco portas e vê todas as anteriores mecânicas substituídas por uma única e nova de génese híbrida, de 184 cv. Tendo sempre os baixos consumos como alvo, o novo Civic está mais refinado e confortável, mas também dinamicamente mais emotivo...

O caminho da hibridização escolhido pela Honda para o novo Civic (pelo menos na Europa, uma vez que o modelo está desde 2021 em comercialização nos EUA e Japão com mecânicas puras a gasolina) faz parte da estratégia de eletrificação total da gama europeia do fabricante nipónico, até 2023, que passará também por estreantes modelos com tecnologia PHEV.

Para esta que é a 11.ª geração do compacto, a Honda experimenta (mais) uma nova fórmula para a carroçaria, fazendo do novo Civic uma espécie de berlina coupé, em que um dos objetivos comerciais passa por fazer frente a modelos como BMW Série 2 Gran Coupé e Mercedes CLA. Para o efeito, o Civic conta com a versatilidade extra de uma carroçaria de 5 portas, não obstante os agora 410 litros da bagageira apresentarem-se como valor apenas normal no segmento (perde 68 litros), mantendo-se a chapeleira lateral.

O aumento da distância entre eixos em 35 mm abre portas a um habitáculo bem mais desafogado que a mala, em particular no espaço para pernas no banco traseiro, tornando o Civic na referência do segmento. Já a altura até ao tejadilho sofre com a linha descendente do referido formato coupé; a nova solução de design está na base das distintas proporções exteriores, com altura total encolhida, linha de capot rebaixada em 25 mm e vias mais largas. Outro dos fatores que testemunhámos neste primeiro contacto é a superior visibilidade lateral e frontal, fruto dos pilares A recuados.

Para o novo Civic, a eficiência surge de mãos dadas com uma nova faceta dinâmica – recorde-se que esta nova geração estará disponível apenas com mecânica híbrida. Para o conseguir, a Honda não só aumentou em 22% a rigidez à torção, como faz agora uso de capot dianteiro em alumínio (43% mais leve) e portão traseiro em materiais compósitos (20% mais ligeiro).

Só com nova motorização híbrida

Os cuidados técnicos são extensíveis às estreantes soluções do módulo híbrido, caso da bateria de superior capacidade, agora de 1,05 kWh, 1 kg mais ligeira e 23 mm mais fina que a solução até agora utilizada pela Honda noutros modelos. O motor 2.0 a gasolina (funciona em ciclo Atkinson) também é novo e alcança uma eficiência notável, de 41%. Tudo a contribuir para o melhor desempenho deste módulo híbrido agregado a motor elétrico, que assim produz um rendimento máximo  combinado de 184 cv e 315 Nm – solução mecânica que também irá marcar presença no futuro Honda CR-V.

Tal como tivemos oportunidade de testemunhar ao longo de alguns quilómetros, esta nova solução da família e:HEV permite agora associar a sempre notável descontração (e silêncio...) permitida pelas soluções híbridas a um desempenho bem mais vivo, com resposta quase imediata ao acelerador (permitida pela entrega do motor elétrico) e ganhos de velocidade mais consistentes. Não faltando sequer uma pontinha de emoção: se selecionado o modo de condução Sport, as colunas do sistema áudio fazem chegar ao habitáculo simulações sonoras de passagens de caixa, em aceleração!

Este maior e mais potente motor a gasolina também ajuda o sistema híbrido auto recarregável a melhor lidar com viagens em autoestrada, cenário habitualmente pouco apreciado por modelos HEV. O certo é que o Civic está agora realmente mais refinado na ligação com a estrada, sereno e confortável, não só pelos cuidados na insonorização, como pelas suaves ligações ao solo, que incluem redução de atrito e de fricções pela suspensão e aumento da consistência direcional.

Se a posição de condução é excelente e os ajustes adaptados a todas as estaturas, falta ao interior pequenos sinais de requinte: embora de design minimalista e linhas direitas, continuam a existir muitas junções e alguns plásticos que não se coadunam com o elevado nível geral da construção.

Não faltam ajudas tecnológicas à condução, mas apenas a versão de topo irá propor o painel de instrumentos totalmente digitalizado.

O novo estilo de carroçaria confere personalidade extra à 11.ª geração do Civic, que surge em ano do 50º aniversário do modelo e abre novo capítulo na orientação dinâmica permitida por uma solução híbrida no segmento dos compactos, seja pelas reações da mecânica, seja pelas afinações do chassis.

Preço (janeiro 2023):

Honda Civic e:HEV: Desde 44.000 €

Ler Mais

Conte-nos a sua opinião 0

Apresentação